História 7º ano | A Europa do século VI a XII

 

A EUROPA DO SÉCULO VI A XII

 

 

 

AS INVASÕES BÁRBARAS E A QUEDA DO IMPÉRIO ROMANO

 

O conjunto dos povos Germanos subdividia-se. Como se chamavam esses povos? E onde se fixaram?

  • Suevos: noroeste da Península Ibérica
  • Visigodos: quase toda a Península Ibérica
  • Francos: centro da Europa
  • Burgúndios: centro da Europa
  • Ostrogodos: Península Itálica
  • Anglo-Saxões: Ilhas Britânicas
  • Vândalos: África

 

O que aconteceu em 476?

Fim do Império Romano do Ocidente. É considerado o início da Idade Média.

 

Quais as causas da queda do Império Romano?

  • indisciplina do exército
  • corrupção dos funcionários
  • mudanças frequentes de imperador
  • escassez de alimentos, fomes e epidemias
  • invasões dos povos bárbaros

 

Em que séculos ocorreu a segunda vaga de invasões?

Entre os séculos VIII e X.

 

De onde vinham e o que atacaram os novos invasores?

  • Muçulmanos (vieram do norte de África)
    • atacaram a Europa pelo Sul
  • Normandos (vieram da Escandinávia)
    • atacaram a Europa pelo Norte
  • Húngaros (vieram da Ásia)
    • atacaram a Europa pelo Leste

 

Que outras designações tinham?

  • Muçulmanos – Mouros
  • Normandos – Vikings
  • Húngaros – Magiares

 

Quem perdeu poder com as invasões? E quem ganhou ?

Os Reis perderam poder pois mostravam-se incapazes de criar um clima de segurança para a população.

Por outro lado, os grandes senhores ganharam poder pois eram os únicos que podiam dar alguma protecção ás populações.

 

Porque se fala em regressão económica após as invasões?

Após as invasões houve uma regressão económica pois a economia diminuiu as suas capacidades de produção e de consumo.

 

O que aconteceu à população?

A população decresceu.

 

O que significa economia de subsistência?

Economia em que não há excedentes e o que se produz é apenas para consumo.

 

Como se considera a produtividade?

A produtividade era fraca pois os campos eram mal aproveitados devido ao uso de técnicas e instrumentos rudimentares (pousio e arados de madeira).

 

Constrói um texto sobre as razões que levaram à economia de subsistência.

O clima de insegurança que se viveu após as invasões fez com que as populações abandonassem as cidades em busca de protecção dos grandes senhores. Como consequência deu-se um enfraquecimento do comércio e passámos a ter uma sociedade ruralizada em que a principal fonte de riqueza era a terra. No entanto, a produtividade era raro devido ao recurso de técnicas e instrumentos atrasados. Sendo assim não havia excedentes e passou a existir uma economia de subsistência.

 

O que são grupos privilegiados e não privilegiados? Quem faz parte dos privilegiados e quais as funções de cada grupo social?

  • Clero
    • grupo privilegiado
    • possui terras e tem direitos e regalias
    • reza
  • Nobreza
    • grupo privilegiado
    • possui terras e tem direitos e regalias
    • combate
  • Povo (artesãos e camponeses)
    • grupo não privilegiado
    • trabalha nas terras dos privilegiados
    • trabalha para sustento de todos

Quais eram os poderes dos senhores?

  • tinham exércitos próprios
  • aplicavam a justiça
  • exigiam o pagamento de impostos

 

O que é o senhorio (domínio senhorial) ?

Território pertencente a um grande senhor.

 

O que é a reserva? E os mansos?

  • Reserva – parte do domínio explorada directamente pelo senhor
  • Mansos – terras exploradas pelos camponeses

 

Quem trabalhava as terras? Que obrigações tinham?

Os camponeses trabalhavam as terras e tinham as seguintes obrigações:

  • pagamentos em dinheiro e em géneros
  • prestação de trabalho gratuito (corveias) na reserva

 

Como se chamam as relações de dependência entre nobres e como se estabelecem?

As relações de vassalagem estabeleciam-se através de um contrato de vassalagem.

 

Como se designam os nobres que estabelecem este acordo?

  • Vassalo – o que preta vassalagem ao suserano

 

Descreve a cerimónia do contrato de vassalagem.

  • Homenagem
    • o vassalo declara desejar ficar na dependência do suserano
  • Juramento de fidelidade
    • o vassalo jura obediência e fidelidade ao suserano
  • Investidura
    • o suserano entrega ao vassalo um objecto que representava o feudo (dinheiro, cargo ou terras)

 

Como se chama esta sociedade baseada nestas relações de dependência?

Sociedade Feudal

 

 

ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE MEDIEVAL

 

O que indica a regra beneditina?

A regra beneditina foi escrita por S. Bento e foi um documento que indicava o modo e foi um documento que indicava o modo de vida que e e  (monges, abades, abadessas, frades e freiras)arcebispos) viviam junta ás populações e o Clero Regular viviam em mosteiros e seguiam uma regra.

 

Distingue Alto e Baixo Clero?

Os membros do Alto Clero (Bispos e Abades) provinham da nobreza, desempenhavam altos cargos administrativos e usufruíam de grandes de grandes regalias e privilégios.

Os membros do Baixo Clero (Párocos e Monges) provinham do povo e não usufruíam de grandes regalias e privilégios.

 

O que valoriza a Ordem de Cluny?

A Ordem de Cluny valorizava a oração e as práticas litúrgicas (cerimonias religiosas) e que estas deviam ser realizadas com esplendor.

 

Como vivem os membros de Ordem de Cister?

Os monges de Cister dedicavam-se ao trabalho manual e ao cultivo da terra pois opunham-se ao luxo e á ostentação e defendiam que a alimentação dos monges devia provir do seu trabalho.

 

Elementos da planta de uma igreja românica

 

 

Corte Transversal de uma igreja românica

Portal de uma igreja românica

 

 

 

 

 


Revê aqui a matéria/resumo de matemática/síntese de História:

 

 


 

EXERCÍCIOS

Em breve

 


 

O que tens de saber neste capítulo, segundo o programa e metas curriculares de História – 7º ano:

 

DOMÍNIO: A FORMAÇÃO DA CRISTANDADE OCIDENTAL E A EXPANSÃO ISLÂMICA

SUBDOMÍNIO: A EUROPA DO SÉCULO VI AO XII

 

  • Conhecer e compreender o novo mapa político da Europa após a queda do Império Romano do Ocidente
  1. Enumerar as razões da queda do Império Romano do Ocidente.
  2. Caracterizar os povos bárbaros.
  3. Identificar os povos invasores e os respectivos locais de fixação.
  4. Comparar a unidade política do Império Romano com a fragmentação ocorrida após as invasões bárbaras e, mais tarde, a sua recomposição a partir da estruturação de diversos reinos.
  5. Reconhecer as invasões bárbaras como marco de periodização clássica (passagem da “Antiguidade” à “Idade Média”).

 

  • Compreender as relações entre o clima de insegurança e o predomínio de uma economia ruralizada na Alta Idade Média com a organização da sociedade medieval
  1. Relacionar as invasões bárbaras do século V e a nova vaga de invasões entre o século VIII e o século X com o clima de insegurança e a recessão económica verificada.
  2. Caracterizar a economia europeia da Alta Idade Média, sublinhando o seu caráter de subsistência.
  3. Justificar o reforço do poder dos grandes senhores (proprietários e líderes militares ou religiosos) perante a incapacidade régia em garantir a defesa das populações.
  4. Salientar o duplo poder senhorial sobre a terra e sobre os homens.
  5. Caracterizar as relações de dependência entre as ordens privilegiadas.
  6. Caracterizar a sociedade trinitária medieval, salientando a divisão em ordens consoante a função e o nascimento, a mobilidade social reduzida, as profundas clivagens entre ordens privilegiadas e não privilegiadas e o papel da igreja na manutenção da ordem vigente.
  7. Enumerar os privilégios do clero e da nobreza e as obrigações dos camponeses.
  8. Descrever sucintamente o quotidiano das ordens sociais medievais.

 

  • Conhecer a vivência religiosa no Ocidente europeu entre os séculos VI e XII
  1. Descrever o aumento do prestígio da Igreja durante as invasões bárbaras, perante a incapacidade do poder civil em defender as populações.
  2. Salientar a importância da religião cristã como elemento de unificação entre os bárbaros e as populações romanizadas.
  3. Descrever o movimento de renovação da Igreja a partir do século VI, destacando a divisão entre clero regular e clero secular.

 

  • Conhecer e compreender as características fundamentais das expressões culturais e artísticas
  1. Referir os mosteiros como centros culturais durante a Alta Idade Média.
  2. Indicar o papel da igreja na conservação de autores da Antiguidade (obras greco-latinas e muçulmanas).
  3. Identificar as características principais da arte românica na arquitetura, pintura e escultura.
  4. Relacionar os temas da pintura e da escultura com o grau de alfabetização da população.

 


 

|   Voltar à lista dos conteúdos do 7º ano – História   |

 

You may also like...