História 7º ano | A Europa do século VI a IX – Invasões bárbaras e o papel da Igreja Católica

 

RESUMOS E EXERCÍCIOS   »   7º ANO   »   HISTÓRIA   »   A EUROPA DOS SÉCULOS VI A IX


HISTÓRIA | 7º ANO


EUROPA DOS SÉCULOS VI A IX


RESUMO
POWERPOINTS
VÍDEOS
AULAS E FICHAS #ESTUDOEMCASA
EXERCÍCIOS
APRENDIZAGENS ESSENCIAIS


RESUMO

HISTÓRIA 7º ANO | A FORMAÇÃO DA CRISTANDADE OCIDENTAL E A EXPANSÃO ISLÂMICA

A EUROPA  DOS SÉCULOS VI A IX

 

 

As invasões bárbaras e a queda do Império Romano

 

  Fim do Império Romano do Ocidente e início da Idade Média (476)

  • ι Causas da queda do Império Romano do Ocidente:
    • indisciplina do exército
      corrupção dos funcionários
      mudanças frequentes de imperador
      escassez de alimentos, fomes e epidemias
      invasões dos povos bárbaros

 

¬ A queda do Império Romano do Ocidente, em 476, marca o início da Idade Média.

 

  Povos bárbaros

¬ Os Romanos chamavam Bárbaros aos povos que rodeavam o seu império e que tinham língua e costumes diferentes dos seus
¬ Eram povos seminómadas
¬ Dedicavam-se sobretudo à agricultura, à pastorícia e à guerra
¬ Eram pagãos (nome dado pelos cristãos aos seguidores de religiões politeístas) ou arianos (praticantes do arianismo, uma heresia cristã)
¬ Pressionados pelos Hunos, e aproveitando as fragilidades do Império Romano, começaram a atacar os seus territórios, onde formaram vários reinos

 

  • ι Reinos bárbaros:
    • Suevos e Visigodos → na Península Ibérica
      Francos e Burgúndios → na atual França
      Ostrogodos → na Península Itálica
      Anglo-Saxões → na Grã-Bretanha

      Vândalos → no norte de África e ilhas do Mediterrâneo

 

 

O papel da Igreja Católica

 

  Defesa das cidades

¬ Durante o clima de insegurança que surgiu devido às invasões bárbaras, muitas vezes foram os bispos quem organizou a defesa das cidades.

 

  Cristianização dos povos bárbaros

¬ Os papas, os bispos e os monges começaram por cristianizar os chefes bárbaros e de seguida a população.

 

  • ι Ação do Papa S. Gregório Magno:
    • desenvolveu a missionação, o que resultou na conversão dos reis visigodos, lombardos e anglo-saxões

 

  • ι Batismo do rei Clóvis:
    • início da conversão dos Francos

 

  • ι Difusão do monaquismo:
    • criação de ordens religiosas (comunidades de monges que vivem sob uma regra à qual devem obedecer)
      fundação de mosteiros junto das populações que tinham como funções:

      • ⤷ evangelização (conversão ao cristianismo)
        ⤷ assistência aos pobres e doentes
        ⤷ ensino e cultura (através da criação de escolas e bibliotecas)

 

  A Igreja Católica como fator de unidade numa Europa fragmentada

¬ Após as invasões bárbaras, a Europa encontrava-se fragmentada em vários reinos, sendo o cristianismo e a Igreja Católica um fator de unidade dos povos europeus, graças ao seu papel de defesa e de evangelização.

 

  Regra de S. Bento de Núrsia

¬ S. Bento de Núrsia fundou várias comunidades e escreveu uma regra com as instruções que os monges deviam seguir.
¬ Outros mosteiros seguiam outras regras, mas a de S. Bento acabou por suplantar todas as outras no Ocidente.

 

  • ι Ordem beneditina
    • os monges deviam dedicar o seu tempo à oração, ao estudo e ao trabalho manual, incluindo o trabalho nos campos
      também não podiam casar nem ter bens pessoais
      tinham de viver em comunidade e de obedecer às ordens do seu superior ou abade

 

  Organização da Igreja Católica

  • ι Autoridade suprema
    • papa
  • ι Clero secular → vive junto das populações
    • arcebispos e bispos → alto clero
      párocos → baixo clero
  • ι Clero regular → vive nos mosteiros
    • abades → alto clero
      monges e freiras→ baixo clero

 

 

Segunda vaga de invasões – entre os séculos VIII e X

 

›  Novas invasões na Europa

  • ι Muçulmanos (mouros):
    • vieram do norte de África 
      atacaram a Europa pelo sul
  • ι Normandos (vikings):
    • vieram da Escandinávia
      atacaram a Europa pelo norte
  • ι Húngaros (magiares):
    • vieram da Ásia
      atacaram a Europa pelo leste

 

  Consequências das invasões

¬ Clima de insegurança → os reis não conseguiam garantir a segurança das populações
¬ Abandono das cidades → busca de proteção junto dos grandes senhores (clérigos e nobres)
¬ Ruralização → predomínio da agricultura, mas pouco produtiva devido ao recurso de técnicas e instrumentos rudimentares
¬ Regressão económica → diminuição da produção
¬ Inexistência de excedentes → falta de produtos para vender
¬ Enfraquecimento do comércio
¬ Economia de subsistência → produção para autoconsumo

voltar ao topo


POWERPOINTS/SLIDESHARE

voltar ao topo


VÍDEOS YOUTUBE

voltar ao topo


AULAS E FICHAS #ESTUDOEMCASA

#EstudoEmCasa 2020/2021

História 7º e 8º anos

Aula 23   |   “Tempos de mudança. A queda do império romano do ocidente, alta Idade Média e o papel da igreja católica. Reforma e Contrarreforma”   »   ver aula  ·  ficha  ·  correção

voltar ao topo


EXERCÍCIOS

(em breve)

voltar ao topo


APRENDIZAGENS ESSENCIAIS

  • Explicar que a passagem da realidade imperial romana para a fragmentada realidade medieval se deveu ao clima de insegurança originado pelas invasões, pelos conflitos constantes e pela regressão económica;
  • Reconhecer a importância da Igreja enquanto fator de unidade numa realidade fragmentada;
  • Identificar/aplicar os conceitos: Idade Média; bárbaros; economia de subsistência; reino; monarquia; Igreja Católica; ordem religiosa; rutura.

voltar ao topo


RESUMOS E EXERCÍCIOS
7º ANO | HISTÓRIA


 

Também te pode interessar…