História 8º ano | A abertura ao mundo – O expansionismo europeu

 

RESUMOS E EXERCÍCIOS   »   8º ANO   »   HISTÓRIA   »   A ABERTURA AO MUNDO


RESUMO
EXERCÍCIOS INTERATIVOS
PARA IMPRIMIR
MAIS RECURSOS


RESUMO

1. A abertura ao mundo

 

1.1 Expansão portuguesa

 

Motivações

  • •  Motivações políticas
    • ⤷ rei D. João I → afirmação internacional do poder da nova dinastia
  • •  Motivações económicas
    • ⤷ burguesia → novos produtos e novos mercados
    • ⤷ nobreza → terras e riquezas
  • •  Motivações religiosas
    • ⤷ clero → expansão do cristianismo
  • •  Motivações sociais
    • ⤷ nobreza → títulos
    • ⤷ povo → melhores condições de vida

 

Condições

  • •  Condições políticas
    • ⤷ período de paz e estabilidade política
  • •  Condições geográficas
    • ⤷ proximidade às ilhas atlânticas e ao norte de África
    • ⤷ extensa costa marítima com bons portos naturais
  • •  Condições históricas, sociais e científicas
    • ⤷ origem em povos com conhecimentos na arte de navegar
    • ⤷ experiência em navegar devido às atividades piscatórias e ao comércio marítimo
  • •  Condições técnicas
    • ⤷ instrumentos de navegação astronómica (bússola, quadrante, balestilha, astrolábio)
    • ⤷ portulanos e cartas de marear
    • ⤷ nova embarcação, a caravela, com velas triangulares, que permitia bolinar (navegar com ventos contrários)

 

Início da expansão portuguesa

  • •  Primeira conquista portuguesa
    • ⤷ 1415 → Ceuta, no norte de África, junto ao estreito de Gibraltar
  • •  Razões para esta conquista
    • ⤷ região rica em cereais
      ⤷ ponto de chegada das rotas de caravanas que traziam o ouro do sul de África
    • ⤷ ponto estratégico para controlar o comércio entre o Oceano Atlântico e o mar Mediterrâneo
      ⤷ enfraquecimento da pirataria muçulmana
    • ⤷ expansão do cristianismo
  • •  O que se sucedeu após a conquista de Ceuta
    • ⤷ devido aos ataques frequentes à cidade, os campos de cultivo foram abandonados
    • ⤷ as rotas do ouro foram desviadas
    • ⤷ tornou-se dispendiosa a defesa deste território
  • •  Resultados económicos desta conquista
    • ⤷ não teve grande proveito económico devido aos elevados custos com a defesa contra os ataques muçulmanos e devido ao desvio das rotas comerciais

 

Rumos da expansão portuguesa

  • •  Duas posições acerca do rumo da expansão a seguir
    • ⤷ nobreza
      • ⤷ novas expedições no norte de África
      • ⤷ pretendia obter terras, rendas e tíulos
    • ⤷ burguesia
      • ⤷ exploração marítima da costa africana
      • ⤷ pretendia chegar aos locais de origem dos produtos mais cobiçados
  • •  Rumo que prevaleceu
    • ⤷ Viagens de descoberta para sul

 

Redescobrimento da Madeira e dos Açores

  • •  Redescobrimento da Madeira
    • ⤷ 1419 → Porto Santo (João Gonçalves Zarco e Tristão Vaz Teixeira)
    • ⤷ 1420 → Ilha da Madeira (João Gonçalves Zarco, Tristão Vaz Teixeira e Bartolomeu Perestrelo)
  • •  Redescobrimento dos Açores
    • ⤷ 1427 → Santa Maria e São Miguel (Diogo de Silves)
  • •  Produtos explorados na Madeira
    • ⤷ cereais, vinha, plantas tintureiras e açucar
  • •  Produtos explorados nos Açores
    • ⤷ cereais, plantas tintureiras e gado
  • •  Sistema de exploração nos arquipélagos atlânticos
    • ⤷ capitanias, entregues a capitães-donatários (nobre com poderes administrativos, judiciais e militares) para povoar as terras e desenvolver a sua exploração

 

1ª fase da exploração da costa africana – Período Henriquino

  • •  Principal responsável pelas primeiras expedições marítimas
    • ⤷ infante D. Henrique, filho de D. João I
  • •  Datas importantes
    • ⤷ 1434 → Passagem do Cabo Bojador (Gil Eanes)
    • ⤷ 1460 → Chegada a Serra Leoa (Pedro de Sintra)
  • •  Produtos explorados em África
    • ⤷ escravos, ouro, marfim e malagueta
  • •  Sistema de exploração em África
    • ⤷ feitorias (entrepostos comerciais, geralmente fortificados, dirigidos por um funcionário régio)

 

2ª fase da exploração da costa africana – Arrendamento a Fernão Gomes

  • •  Política de D. Afonso V
    • ⤷ expedições militares no norte de África
  • •  Datas importantes
    • ⤷ 1458 → Conquista de Alcácer Ceguer
    • ⤷ 1471 → Conquista de Arzila e Tânger
  • •  Responsável pelas expedições marítimas durante o reinado de D. Afonso V
    • ⤷ Fernão Gomes, um rico mercador de Lisboa
  • •  Contrato de arrendamento
    • ⤷ Fernão Gomes podia fazer comércio nas terras que descobrisse
    • ⤷ em troca:
      • ⤷ pagava uma importância em dinheiro
      • ⤷ estava obrigado a descobrir, para sul, em cada ano, cem léguas de costa
  • •  Regiões exploradas por Fernão Gomes
    • ⤷ todo o Golfo da Guiné, incluindo a costa da Mina, onde foi possível adquirir bastante ouro (feitoria de São Jorge da Mina)
    • ⤷ 1474 → chegada ao cabo de Santa Catarina

 

3ª fase de exploração da costa africana – Política de D. João II

  • •  Responsável pelas expedições marítimas após Fernão Gomes
    • ⤷ D. João II, filho de D. Afonso V
  • •  Política expansionista de D. João II
    • ⤷ pretendia chegar à Índia por mar
  • •  Datas importantes
    • ⤷ 1482-1486 → exploração da costa africana para sul do Cabo de Santa Catarina (Diogo Cão)
      ⤷ 1487 → expedição ao Oriente pelo Mediterrâneo e pelo Mar Vermelho para recolha de informações sobre a navegação e o comércio no Índico (Pero da Covilhã e Afonso de Paiva)
    • ⤷ 1488 → passagem do cabo da Boa Esperança (Bartolomeu Dias)

 

Rivalidade luso-castelhana

  • •  Tratado de Alcáçovas
    • ⤷ 1479 → Portugal e Castela disputaram a posse das Canárias e, para resolver esse conflito, assinaram o Tratado de Alcáçovas
    • ⤷ ficou estabelecido que Portugal desistia desses territórios mas, em troca, ficava com o domínio exclusivo dos territórios a sul dessas ilhas
  • •  Descoberta da América
    • ⤷ 1492 → Cristóvão Colombo, a serviço de Castela, descobre a América (chega às Antilhas) quando tentava chegar à Índia pelo Ocidente
  • • Tratado de Tordesilhas
    • ⤷ 1494 → de acordo com o Tratado de Alcáçovas, esses territórios deveriam pertencer a Portugal, surgindo assim um novo conflito e resolvido com o Tratado de Tordesilhas
    • ⤷ ficou estabelecida a divisão do mundo em duas partes, tendo como referência um meridiano que passava a 370 léguas de Cabo Verde:
      • ⤷ a este desse meridiano, as terras descobertas ou a serem descobertas pertenceriam a Portugal
      • ⤷ a oeste, pertenceriam a Castela

 

Política de Mare Clausum (mar fechado)

  • •  Mare clausum
    • ⤷ estabelecimento de duas áreas de exploração geográfica e económica, exclusivas a Portugal e Castela, estando os outros países europeus sem acesso a elas

 

Expansão no reinado de D. Manuel I

  • •  Chegada à Índia
    • ⤷ 1498 → chegada à Índia, a Calecute (Vasco da Gama)
    • ⤷ pela primeira vez, a Europa ligava-se por mar à Ásia, através da rota do Cabo
  • •  Descoberta do Brasil
    • ⤷ 1500 → uma nova armada, sob o domínio de Pedro Álvares Cabral, foi enviada para a Índia para impor o domínio português no Oriente. No entanto, os navios sofreram um grande desvio para sudoeste e chegaram assim ao Brasil
  • •  Produtos explorados na Índia
    • ⤷ especiarias, sedas e perfumes
  • •  Sistema de exploração no Oriente
    • ⤷ administração por vice-reis e feitorias
  • •  Política de Francisco de Almeida, primeiro vice-rei da Índia
    • ⤷ domínio dos mares, exigindo licenças de navegação a todos os barcos que navegassem no Índico
  • •  Política de Afonso de Albuquerque, segundo vice-rei da Índia
    • ⤷ domínio dos mares e conquista territorial de cidades estratégicas como Ormuz, Goa e Malaca
  • •  Monopólio régio
    • ⤷ o comércio de todas as mercadorias estava sob controlo direto da coroa
    • ⤷ foi criado em Lisboa um organismo oficial, a Casa da índia, que organizava as armadas, controlava o comércio entre Portugal e o Oriente e era onde se vendiam as mercadorias recebidas
  • •  Produtos explorados no Brasil
    • ⤷ pau-brasil, aves exóticas e açúcar
  • •  Sistema de exploração no Brasil (já no reinado de D. João III)
    • ⤷ capitanias e, mais tarde, devido às rivalidades entre os vários capitães-donatários e dificuldade em resistir aos ataques frequentes de índios e franceses, Tomé de Sousa foi nomeado primeiro governador-geral do Brasil (1549)
  • •  Tráfico de escravos
    • ⤷ a população indígena não se adaptou à exigência do trabalho nos engenhos, para a produção de açúcar, o que levou a um intenso tráfico de escravos da África para a América, sendo transportados em condições desumanas

 

 

1.2 A expansão espanhola

 

Características da conquista e exploração espanhola na América Central e do Sul

  • •  Razões para uma conquista rápida e violenta
    • ⤷ ataques surpresa
    • ⤷ superioridade militar (utilização de armas de fogo)
    • ⤷ alianças com tribos índias
  • •  Principais chefes militares
    • ⤷ Fernando Cortez → venceu os Astecas, no México
      ⤷ Francisco Pizarro → venceu os Incas, no Perú
  • •  Riquezas obtidas
    • ⤷ saque dos tesouros ameríndios
    • ⤷ exploração das minas de ouro e prata
  • •  Sistema de exploração
    • ⤷ administração por vice-reis
  • •  Conselho das Índias
    • ⤷ organismo em Espanha que detinha o monopólio comercial de todos os produtos americanos negociados na Casa da Contratação, em Sevilha, de onde eram vendidos para o resto da Europa

 

Consequências para as populações locais

  • •  Diminuição da população índia
    • ⤷ devido à violência da conquista
      ⤷ devido à dureza do trabalho obrigatório nas minas
      ⤷ devido às doenças levadas pelos colonizadores
  • •  Conversão ao Cristianismo de grande parte das populações ameríndias
    • ⤷ graças à atividade dos missionários

 

 

1.3 Relação entre europeus e as civilizações africanas, ameríndias e asiáticas

 

Características das principais civilizações de África, América e Ásia à chegada dos Europeus

  • •  Em África
    • ⤷ a maior parte eram comunidades recoletoras e comunidades produtoras
    • ⤷ havia também alguns estados, reinos e impérios
    • ⤷ o Norte de África era islâmico, apenas o reino da Etiópia era cristão
  • •  Na América
    • ⤷ a maior parte eram comunidades recoletoras e comunidades produtoras
    • ⤷ tinha como civilizações mais desenvolvidas os Maias, Astecas e Incas
  • •  Na Ásia
    • ⤷ civilizações desenvolvidas e poderosas
    • ⤷ grande desenvolvimento técnico e urbano
    • ⤷ existência de reinos, principados e grandes impérios como a Pérsia e a China
    • ⤷ tinham como principais religiões o Hinduísmo, o Budismo e o Islamismo

 

Como os europeus trataram os Africanos e os Índios

  • •  Submissão dos povos
    • ⤷ trabalhos forçados
      ⤷ escravatura
    • ⤷ tráfico
  • •  Missionação
    • ⤷ sobretudo na América, os padres jesuítas obrigaram os povos a converterem-se ao cristianismo, embora tenham desenvolvido também a sua instrução e defenderam essas comunidades

 

Encontro de culturas

  • •  Aculturação
    • ⤷ contacto de diferentes culturas
  • •  Assimilação
    • ⤷ adoção de hábitos e atitudes de uma cultura vivendo nesse ambiente
  • •  Comunidades mestiças
    • ⤷ os povos que sofreram maior influência da cultura europeia foram os ameríndios e os africanos, sobretudo na religião, na língua e nos costumes, dando origem a comunidades mestiças
  • •  Miscigenação
    • ⤷ casamentos entre diferentes povos
    • ⤷ aconteceu na Ásia, entre europeus e mulheres indianas

 

 

1.4 A mundialização do comércio

 

As grandes rotas do comércio mundial no século XVI

  • •  Rota do Cabo
    • ⤷ ligava a Europa (Lisboa) à Ásia (Índia), contornando o continente africano
  • •  Rotas do Extremo Oriente
    • ⤷ ligava a Índia a várias zonas do Extremo Oriente, como Japão, China e ilhas da atual Indonésia
  • •  Rotas atlânticas
    • ⤷ ligava Lisboa a África e ao Brasil e, também, Sevilha à América Central
  • •  Rota de Manila
    • ⤷ estendia-se pelo oriente, desde Manila até ao atual México

 

Centros do comércio intercontinental nos séculos XV e XVI

  • •  Principais centros de comércio
    • ⤷ Lisboa
    • ⤷ Sevilha
  • •  Importância da Antuérpia
    • ⤷ devido à sua localização geográfica favorável, a partir da Antuérpia eram distribuídos produtos para a Europa do Norte, Central e do Sul
    • ⤷ graças à sua importância, os Portugueses fundaram uma feitoria na Antuérpia, que funcionava como uma extensão da Casa da Índia
    • ⤷ a esta cidade afluíam mercadores e banqueiros em busca de oportunidades de negócio
  • •  Outros centros de comércio europeu
    • ⤷ Veneza, Génova, Florença
    • ⤷ regiões da Alemanha, Inglaterra e França

 

O desenvolvimento da burguesia

  • •  Enriquecimento de mercadores e banqueiros
    • ⤷ os grandes lucros do comércio colonial promoveram a acumulação de capital, o que possibilitou a formação de companhias de comércio, e o enriquecimento de grandes mercadores e banqueiros italianos , flamengos e alemães

Em Portugal, a burguesia não teve o mesmo desenvolvimento devido à política do monopólio régio.

 

Fenómeno de globalização

  • •  Globalização
    • ⤷ processo de aproximação entre as diversas sociedades e nações do mundo no âmbito económico, social, cultural ou político

 

Alterações no consumo e hábitos dos Europeus

  • •  Novos produtos e hábitos alimentares
    • ⤷ de África → malagueta, café
    • ⤷ de Ásia → especiarias (cravinho, noz-moscada, pimenta, canela), chá
    • ⤷ da América → açúcar, milho maís, ananás, cacau
    • ⤷ generalizou-se ainda o consumo de tomate, feijão e banana
  • •  Novos hábitos
    • ⤷ os grupos mais privilegiados tinham mobiliário requintado, adornos, porcelanas, pedras preciosas, vestuário em tecidos de luxo, usavam perfumes do Oriente e objetos de marfim e ouro de África
    • ⤷ generalizou-se ainda o consumo de tabaco

voltar ao topo


EXERCÍCIOS INTERATIVOS

voltar ao topo


PARA IMPRIMIR

Resumo   |    abrir

Síntese   |    abrir

Teste 1   |   enunciado   »   correção

Nota: apenas o Grupo II se refere a este capítulo

Teste 2   |   enunciado   »   correção

Nota: apenas os Grupo I e Grupo II se referem a este capítulo

voltar ao topo


MAIS RECURSOS

POWERPOINTS
VÍDEOS

Para navegar entre os vários vídeos clicar na parte superior direita do player no símbolo  .

AULAS E FICHAS #ESTUDOEMCASA

#EstudoEmCasa 2020/2021

Aula 3   |   “Rumos do Homem – Estudo comparativo de aspetos da expansão humana”   »   ver aula  ·  ficha
Aula 4   |   “O imaginário e/ou espiritualidade humana na pré-história e na época da expansão portuguesa (séc. XV-XVI)”   »   ver aula  ·  ficha  ·  correção
Aula 5   |   “A técnica e o Homem: expansão e mudança nos séculos XV e XVI. Pré-História: Idade dos Metais”   »   ver aula  ·  ficha  ·  correção
Aula 6   |   “As primeiras civilizações urbanas. Expansão e mudança nos séculos XV e XVI”   »   ver aula  ·  ficha  ·  correção
Aula 7   |   “O tempo da História. Invenção da escrita e do cálculo. O mare clausum”   »   ver aula  ·  ficha  ·  correção
Aula 9   |   “Política Ibérica de Mare Clausum. Descoberta do caminho marítimo para a Índia. Achamento do Brasil”   »   ver aula  ·  ficha  ·  correção
Aula 10   |   “Expansão e mudança nos séculos XV e XVI”   »   vea aula  ·  ficha  ·  correção
Aula 13   |   “Autorregulação de aprendizagens. O património histórico e cultural: contributos da civilização egípcia”   »   ver aula  ·  ficha  ·  correção
Aula 14   |   “Das civilizações da América pré-colombiana viajamos para o Mediterrâneo oriental, na antiguidade”   »   ver aula  ·  ficha  ·  correção
Aula 15   |   “Herança:​ da expansão portuguesa e espanhola; do Mediterrâneo antigo ao mundo helénico”   »   ver aula  ·  ficha  ·  correção
Aula 16   |   “Seres humanos escravos: – O tráfico de seres humanos como uma realidade, na expansão europeia, do séc. XV e XVI; – Os seres humanos escravos, em Atenas, do séc. V a.C.”   »   rever a aula  ·  ficha  ·  correção

APRENDIZAGENS ESSENCIAIS
  • Referir as principais condições e motivações da expansão portuguesa;
  • Demonstrar a importância que o poder régio e os diversos grupos sociais tiveram no arranque da expansão portuguesa;
  • Reconhecer rumos e etapas principais da expansão henriquina;
  • Relacionar a política expansionista de D. João II e a assinatura do Tratado de Tordesilhas com a estratégia ibérica de partilha de espaços coloniais;
  • Identificar as principais características da conquista e da ocupação espanholas na América Central e do Sul;
  • Caracterizar sumariamente as principais civilizações de África, América e Ásia à chegada dos europeus;
  • Distinguir formas de ocupação e de exploração económicas implementadas por Portugal em África, Índia e Brasil, considerando as especificidades de cada uma dessas regiões;
  • Reconhecer a submissão violenta de diversos povos e o tráfico de seres humanos como uma realidade da expansão;
  • Identificar as rotas intercontinentais, destacando os principais centros distribuidores de produtos ultramarinos;
  • Compreender que as novas rotas de comércio intercontinental constituíram a base do poder global naval português, promovendo a circulação de pessoas e produtos e influenciando os hábitos culturais;
  • Identificar/aplicar os conceitos: navegação astronómica; colonização; capitão-donatário; império colonial; mare clausum; monopólio comercial; feitoria; tráfico de escravos; aculturação/ encontro de culturas; missionação; globalização.

voltar ao topo


RESUMOS E EXERCÍCIOS
8º ANO | HISTÓRIA

Expansionismo Europeu

Renascimento, Reforma e Contrarreforma

União Ibérica e Restauração da Independência

Antigo Regime

Arte Barroca e influência do Iluminismo

Revolução Agrícola e Revolução Industrial

Independência dos EUA e Revoluções Francesa e Portuguesa

Transformações do mundo industrializado

Regeneração