Economia A 11º ano | Relações económicas com o resto do mundo

 

ECONOMIA A | 11º ANO


RELAÇÕES ECONÓMICAS COM O RESTO DO MUNDO


RESUMO DA MATÉRIA
POWERPOINTS
VÍDEOS
AULAS #ESTUDOEMCASA
EXERCÍCIOS
APRENDIZAGENS ESSENCIAIS


 

10. Relações económicas com o Resto do Mundo

 

10.1 A necessidade e a diversidade de relações internacionais

Comércio: atividade económica de compra e venda de bens e serviços.

  • Comércio interno – trocas de bens e de serviços entre unidades residentes no mesmo país.
  • Comércio externo – trocas de bens e de serviços entre unidades residentes e não residentes.

O comércio resulta da especialização produtiva de cada país que faz com que vendam os bens e serviços nos quais têm vantagem na produção e com que compram os produtos que não produzem ou produzem em menores quantidades. Esta especialização derivada da distribuição desigual dos recursos no mundo dá origem à divisão internacional do trabalho.

 

Vantagens absolutas Vs. Vantagens comparativas

Os países especializam-se nos produtos nos quais têm vantagem comparativa.
Ex.: Inglaterra produz maior quantidade de vinho e de têxteis do que Portugal e por isso tem vantagens absolutas nos dois produtos.
Mas…
Portugal tem vantagem comparativa na produção de vinho e a Inglaterra tem vantagem comparativa na produção de têxteis. Portugal especializa-se no vinho e através do comércio externo vende a sua produção à Inglaterra e compra os têxteis à Inglaterra, que faz o inverso.

 

Abertura de fronteiras → Aumento do comércio → Movimentos de bens, serviços e capitais → Aumento das deslocações de pessoas

 

10.2 O registo das relações com o Resto do Mundo – a Balança de Pagamentos

Os registos dos fluxos económicos de cada país são efetuados na Balança de Pagamentos, que se encontra dividida em Balança corrente, Balança de capital e Balança financeira.

 

Saldo = Crédito (entrada de divisas) – Débito (saída de divisas)

 

  • Défice: Débito ˃ Crédito
  • Nulo: Débito = Crédito
  • Superavit: Crédito ˃ Débito

Como o saldo contabilístico da Balança de Pagamentos tem de ser nulo, calcula-se residualmente a rubrica «Erros e Omissões».

 

Operações de câmbio e taxas de câmbio

No comércio internacional, as transações económicas requerem, normalmente, a troca de moeda nacional por moeda estrangeira – operação de câmbio.

A função do mercado cambial, que funciona permanentemente, é a troca de moedas.

A taxa de câmbio (nominal) é o preço da moeda nacional em termos de uma moeda estrangeira, ou seja, é o valor a que é possível trocar moeda de um país pela moeda de outro país.

 

A Balança corrente

A Balança corrente é constituída por:

  • Balança de bens – fluxos relativos a bens, como matérias-primas e bens de equipamento
  • Balança de serviços – viagens e turismo, serviços de transporte, prémios de seguros e direitos de utilização de ativos intangíveis não produzidos não financeiros (patentes, direitos de autor, marcas e franchising)
  • Balança de rendimentos – rendimentos do trabalho e do capital
  • Balança de transferências correntes – transferências públicas e privadas

 

Balança de bens

Dois tipos de fluxos monetários:

  • Exportações de bens: venda ao Resto do Mundo – entrada de divisas
  • Importações de bens: compra ao Resto do Mundo – saída de divisas

Saldo da Balança de bens:

  • Superavit: Exportações ˃ Importações
  • Nulo: Exportações = Importações
  • Défice: Importações ˃ Exportações

 

Taxa de cobertura é um indicador económico que representa a percentagem das importações que é coberta pelas exportações.

Taxa de cobertura = (Valor das exportações / Valor das importações) x 100

 

Quando o valor é:

  • Inferior a 100%, significa que o valor das importações é superior ao das exportações e por isso o país tem de usar divisas acumuladas previamente ou de recorrer a empréstimos;
  • Igual a 100%, significa que o valor das importações é igual ao valor das exportações;
  • Superior a 100%, significa que o valor das exportações é superior ao valor das importações, permitindo acumular divisas.

 

Balança de serviços
Balança de rendimentos
Balança de transferências correntes
(não há matéria adicional nestas 3 balanças da balança Corrente)

 

O saldo da Balança corrente traduz a situação de uma economia face ao Resto do Mundo. Um saldo positivo significa que a economia consegue gerar receitas para cobrir os encargos face ao exterior.

 

A Balança de capital

A Balança de capital regista as transferências unilaterais de capital entre residentes e não residentes. Os fluxos de capitais são constituídos por:

  • Transferências de capitais
    Ex.: fundos europeus; transferências de património; perdão de dívida
  • Aquisição/cedência de ativos não produzidos não financeiros
    Ex.: compra e venda de ativos intangíveis, como patentes, marcas e franchising
    Ex.: compra e venda de ativos tangíveis, como terrenos

 

A Balança financeira

A Balança financeira regista todos os fluxos que implicam mudança de titularidade entre residentes e não residentes de ativos e passivos financeiros. Esta Balança é constituída por operações de:

  • Investimento direto:
    • A aquisição de uma empresa residente por um agente não residente regista-se a crédito e é um exemplo de investimento direto do exterior em Portugal
    • A aquisição de uma empresa localizada no exterior por um agente residente regista-se a débito e é um exemplo de investimento direto de Portugal no exterior
  • Investimento indireto ou de carteira:
    • Compra e venda de produtos financeiros, como ações e obrigações
  • Outro investimento:
    • Créditos comerciais, obtenção de empréstimos e constituição de depósitos em bancos não residentes
  • Derivados financeiros:
    • Compra de derivados na bolsa
  • Ativos de reserva:
    • Ativos de não residentes na área do euro e expressos em moeda de países fora desta área.

 

Saldo global da Balança de Pagamentos = 0

Balança corrente + Balança de capital + Balança financeira = 0

 

A Balança financeira reflete as transações da Balança corrente e da Balança de capital e por isso terá um sinal contrário ao saldo conjunto destas duas. Assim:

  • Se o saldo da Balança financeira for negativo (porque o saldo conjunto das Balanças corrente e de capital é positivo), significa que a economia tem capacidade de financiamento;
  • Se o saldo da Balança financeira for positivo (porque o saldo conjunto das Balanças corrente e de capital é negativo), significa que a economia tem necessidade de financiamento.

 

Balança de Pagamentos e regime cambial

Regime de câmbios flexíveis: taxas de câmbio são determinadas pelo mercado, sem intervenção do Estado.
Regime de câmbios fixos: taxas de câmbio são definidas pelo Estado.

Quando existe:

  • Uma situação de défice, o Banco Central decreta a desvalorização da moeda para corrigir o défice
    Desvalorização da moeda: uma unidade de moeda nacional permite comprar menos unidades de moeda estrangeira. As importações ficam mais caras e por isso diminuem enquanto as exportações tornam-se mais baratas para o exterior, aumentando.
  • Uma situação de excedente, o Banco Central acumula reservas ou decreta a valorização da moeda para corrigir o excedente
    Valorização da moeda: uma unidade de moeda nacional consegue comprar mais unidades de moeda nacional. As importações ficam mais baratas e por isso aumentam e as exportações tornam-se mais caras para o estrangeiro, diminuindo.

 

10.3 As políticas comerciais e a organização do comércio mundial

Políticas comerciais: Livre-cambismo e Protecionismo

 

Protecionismo

O protecionismo é uma política de comércio internacional cujo objetivo é a proteção da economia nacional, implementando um conjunto de medidas que limitam a entrada de produtos vindos do exterior e que facilitam a saída dos produtos nacionais para o exterior.

  • Protecionismo sobre as importações:
    • Barreiras alfandegárias tarifárias (aplicação de impostos sobre os bens e serviços)
    • Barreiras alfandegárias não tarifárias (limitações quantitativas à importação de bens e serviços – contingentação, imposição de normas de qualidade)
  • Protecionismo sobre as exportações:
    • Subsídios às exportações (tornam os produtos nacionais mais competitivos no mercado)
    • Dumping (existe quando os bens exportados têm um preço de exportação inferior àquele que praticam no mercado do seu país. A prática de dumping é proibida, sendo tomadas medidas antidumping para neutralizar os seus efeitos)
    • Desvalorização da moeda.

 

Livre-cambismo

O livre-cambismo defende a livre circulação de bens e de serviços sem quaisquer restrições económicas.

 

Organizações internacionais de defesa da liberalização das trocas:

  • GATT (General Agreement on Tariffs and Trade), fundado no pós 2ª Guerra Mundial, deu origem a um forte incremento das trocas internacionais
  • OMC (Organização Mundial do Comércio) que substituiu o GATT
  • A OMC tem como principal função garantir que o comércio circule o mais livremente quanto possível a nível internacional, de modo a melhorar os níveis de vida e os rendimentos dos países membros.

 

Princípios da OMC

  • Não discriminação, garantido pelo princípio da nação mais favorecida (as vantagens concedidas a um país têm de ser estendidas aos demais) e pelo princípio do tratamento nacional (todos os bens importados devem ter o mesmo tratamento)
  • Concorrência leal (comércio justo e aberto)
  • Transparência
  • Tratamento especial e diferenciado para os países em desenvolvimento

 

Funções da OMC na atualidade:

  • Negociação de acordos comerciais;
  • Implementação e monitorização dos acordos;
  • Resolução de conflitos comerciais;
  • Assistência aos países em desenvolvimento;
  • Cooperação com outras organizações internacionais.

 

10.4 As relações de Portugal com a EU e com o Resto do Mundo

(só análise)

voltar ao topo


APRESENTAÇÃO POWERPOINT

Revê aqui a matéria/resumo/síntese de Economia A:

VÍDEOS YOUTUBE
AULAS #ESTUDOEMCASA 2020/2021

Aula 5   |   “Fatores de desenvolvimento do comércio internacional”   »   ver aula  ·  ficha

Aula 6   |   “A Organização Mundial do Comércio (OMC)”   »   ver aula  ·  ficha

ver todas as aulas do #EstudoEmCasa 2020/2021

EXERCÍCIOS

Exercícios de exame:

Proposta de correção: clicar aqui

APRENDIZAGENS ESSENCIAIS

O que tens de saber neste capítulo, segundo o programa de Economia A – 11º ano:

 

TEMA IV – A ORGANIZAÇÃO ECONÓMICA DAS SOCIEDADES

UNIDADE 10: AS RELAÇÕES ECONÓMICAS COM O RESTO DO MUNDO

 

  • Objetivos de aprendizagem:
    • Indicar os diversos tipos de relações internacionais
    • Justificar a necessidade das relações internacionais
    • Identificar as componentes da Balança de Pagamentos
    • Identificar as componentes da Balança Corrente
    • Distinguir importações de exportações
    • Justificar a necessidade de realizar operações de câmbio
    • Explicitar o conceito de taxa de câmbio
    • Relacionar o valor da moeda com a evolução da taxa de câmbio
    • Calcular o saldo relativo ao comércio internacional de mercadorias
    • Interpretar o saldo da Balança de Mercadorias
    • Explicar as consequências das alterações do valor da moeda na Balança de Mercadorias
    • Referir indicadores do comércio externo de mercadorias (estrutura das importações e das exportações e taxa de cobertura)
    • Calcular a taxa de cobertura
    • Interpretar o significado dos indicadores do comércio externo referidos
    • Identificar as componentes da Balança de Serviços
    • Identificar as componentes da Balança de Rendimentos
    • Identificar as componentes das transferências unilaterais correntes (nomeadamente as remessas dos emigrantes)
    • Calcular o saldo da Balança Corrente
    • Interpretar o saldo da Balança Corrente
    • Identificar as componentes da Balança de Capital (nomeadamente, as transferências não correntes – transferências da UE para financiamento de infraestruturas)
    • Identificar as componentes da Balança Financeira (nomeadamente o IDE)
    • Caracterizar o protecionismo
    • Reconhecer alguns instrumentos utilizados para impedir o comércio livre (barreiras alfandegárias, contingentação, subsídios à exportação e dumping)
    • Caracterizar o livre-cambismo
    • Enquadrar a Organização Mundial do Comércio (OMC) no projeto de liberalização do comércio mundial
    • Indicar os principais objetivos da OMC
    • Verificar a evolução do comércio externo português – distribuição por produtos e distribuição geográfica
    • Interpretar os indicadores do comércio externo português
    • Interpretar a evolução das principais rubricas da Balança de Pagamentos de Portugal
    • Comparar a evolução da Balança de Pagamentos em Portugal com a dos restantes países da UE

 

  • Conceitos:
    • Comércio:
      – Interno
      – Externo
    • Divisão Internacional do Trabalho (DIT)
    • Vantagens comparativas
    • Migrações
    • Componentes da Balança de Pagamentos:
      – Balança Corrente
      – Balança de Capital
      – Balança Financeira
    • Componentes da Balança Corrente:
      – Mercadorias
      – Serviços
      – Rendimentos
      – Transferências correntes
    • Importação
    • Exportação
    • Divisas
    • Operações de câmbio
    • Taxa de câmbio:
      – Fixa
      – Flexível
    • Desvalorização da moeda
    • Balança de Mercadorias
    • Estrutura das importações
    • Estrutura das exportações
    • Taxa de cobertura
    • Balança de Serviços
    • Balança de Rendimentos
    • Balança de Transferências Correntes
    • Balança de Capital
    • Balança Financeira
    • Investimento Direto Estrangeiro (IDE)
    • Protecionismo
    • Barreiras alfandegárias:
      – Tarifárias
      – Não tarifárias
    • Dumping
    • Livre–cambismo / Comércio livre

 

AE – APRENDIZAGENS ESSENCIAIS:

  • Justificar a existência de uma diversidade de relações internacionais;
  • Referir as componentes da Balança de Pagamentos (balanças corrente, de capital e financeira);
  • Caracterizar as componentes da Balança corrente: bens, serviços, rendimento primário e rendimento secundário;
  • Justificar a necessidade da realização de operações de câmbio e da utilização de taxas de câmbio, recorrendo à taxa de câmbio do euro para a sua conversão em diferentes
    moedas;
  • Relacionar a evolução da taxa de câmbio com o valor da moeda, explicitando as consequências dessas alterações no saldo do comércio internacional de bens (desvalorização / valorização da moeda);
  • Calcular e interpretar o saldo da Balança corrente e das respetivas componentes;
  • Calcular e interpretar indicadores do comércio internacional de bens (estrutura setorial e geográfica das importações e das exportações, grau de abertura ao exterior e taxa de cobertura);
  • Calcular e interpretar o saldo da Balança de capital;
  • Referir as componentes da Balança financeira;
  • Caracterizar as políticas comerciais de livre-cambismo e de protecionismo;
  • Caracterizar os principais instrumentos utilizados para impedir o comércio livre (contingentação, subsídios à exportação, dumping e barreiras alfandegárias: tarifárias e não tarifárias);
  • Explicitar objetivos da Organização Mundial do Comércio (OMC), enquadrando-a no projeto de liberalização do comércio mundial.

voltar ao topo


MAIS DE ECONOMIA A – 11º ANO:

8 |   Os agentes económicos e o circuito económico

9 |   A Contabilidade Nacional

10 |   Relações económicas com o resto do mundo

11 |   A intervenção do Estado na economia

12 |   A economia portuguesa no contexto da União Europeia

voltar ao topo


OUTRAS DISCIPLINAS   |   ECONOMIA A   10ºANO   11ºANO


 

Também te pode interessar…