Poema | Odisseia de Homero

 

POEMA

Odisseia de Homero


Odisseia, Canto1 ( Início do poema homérico ) – viagem

«Fala-me, Musa, do homem versátil que tanto vagueou,
depois que de Troia destruiu a cidadela sagrada.
De muitos homens viu as cidades e a mente conheceu;
e foram muitas no mar as dores que sofreu em seu coração
para salvar a vida e o regresso dos companheiros.»

(in Odisseia, Homero, Canto1, Tradução, notas e comentários por Frederico Lourenço, Lisboa: Quetzal Editores, 2018 p.43)

 

Na terra dos Feaces

«Mas diz-me agora tu com verdade e sem rodeios,
por onde vagueaste, a que terras de homens chegaste;
fala-me deles e das cidades que eles habitam,
tanto dos que eram ásperos e selvagens como dos justos;
fala-me dos que acolhiam bem os hóspedes, tementes aos deuses.»

( in Odisseia, Homero, Canto 8, Tradução, notas e comentários por Frederico Lourenço, Lisboa: Quetzal Editores, p.256 )
[Alcínoo – rei da ilha dos Feaces, hoje Corfu ( Grécia) ]

 

Quem és tu, Ulisses ( Odisseu ) ?

« Alcíno o poderoso, excelente entre todos os povos,
(…)
Sou Odisseu, filho de Laertes, conhecido de todos os homens
pelos meus dolos. A minha fama já chegou ao céu.
É na soalheira Ítaca que habito. Nela há uma montanha:
(…).
Em redor de Ítaca estão outras ilhas perto umas das outras: (…).»

( in Odisseia, Homero, Canto 9, Tradução, notas e comentários por Frederico Lourenço, Lisboa: Quetzal Editores, 2018, p.267 )


Vídeos Youtube

Para ouvir o documentário!

Para conhecer o autor!

Para ouvir o audiobook – português do Brasil!

 


PDF

Para ler em formato pdf – clicar aqui!


Apresentação Slideshare

Para ler!

 


Comprar o livro na livraria virtual WOOK

Para reler e guardar!

ODISSEIA DE HOMERO

de Frederico Lourenço.

edição: Quetzal Editores, fevereiro de 2018 ‧ isbn: 9789897224386

 

SINOPSE

Frederico Lourenço regressa ao texto da Odisseia e revê a sua primeira tradução, acrescentando-lhe notas importantíssimas.
A Odisseia não é apenas um dos grandes épicos da literatura grega; é também um dos pilares do cânone ocidental, um poema de rara e extraordinária beleza – e o livro que mais influência exerceu, ao longo dos tempos, no imaginário ocidental.

Quando a Ilíada e a Odisseia foram compostas, ainda não tinha sido escrita a maior parte dos livros que integram o Antigo Testamento; as duas epopeias homéricas são, para todos os efeitos, os primeiros grandes livros da cultura ocidental.
Anos depois da sua tradução inicial, Frederico Lourenço regressou ao texto e fez um criteriosa e minuciosa revisão, acrescentando ainda notas e comentários que esclarecem dúvidas sobre o texto, bem como questões de natureza linguística, geográfica ou histórica que se colocam ao leitor de hoje.

Este grande trabalho de tradução confirma Frederico Lourenço como o grande tradutor moderno do poema grego.

 

 


Também te pode interessar…

Ajuda o nosso site colocando gosto na nossa página de Facebook!