História e Geografia de Portugal 6º ano | Os lugares onde vivemos

 

OS LUGARES ONDE VIVEMOS

 

 

 

TIPOS DE POVOAMENTO

 

Existem dois grandes tipos de povoamento (modo como as pessoas ocupam e organizam o espaço em que habitam e desenvolvem as suas atividades económicas):

  • Povoamento rural:
    • Cujos habitantes se dedicam principalmente à agricultura, pecuária e silvicultura
    • Onde a densidade populacional é baixa
  • Povoamento urbano:
    • Cujos habitantes se dedicam principalmente ao comércio, à indústria e serviços
    • Onde a densidade populacional é alta

 

 

 

OS CAMPOS: OS VESTÍGIOS DO PASSADO E AS MUDANÇAS

 

 

Distribuição do povoamento rural

O povoamento rural pode ser:

  • Povoamento disperso: se as casas encontram-se dispersas pelos campos
  • Povoamento agrupado: se as casas agrupam-se em aldeias ou vilas

 

O povoamento rural disperso é mais comum no Litoral Norte, em algumas planícies do Interior, no Litoral Alentejano, na parte ocidental da serra Algarvia e na ilha da Madeira.

O povoamento rural agrupado predomina em todo o Interior de Portugal Continental e no arquipélago dos Açores.

 

 

As condições de vida no campo

 

A habitação

As habitações do meio rural têm tradição de serem construídas com os materiais da sua região e são adaptadas ao tipo de clima da região e às atividades económicas dos seus habitantes.

  • Casa rural tradicional do Norte:
    • construída em granito ou xisto, conforme a rocha predominante da região
    • geralmente tem 2 pisos: no inferior abrigam-se os animais e guardam-se os produtos e instrumentos agrícolas, e no superior é onde a família habita
    • nas terras mais altas os telhados são muito inclinados devido à neve
  • Casa rural tradicional do Sul:
    • Construídas em adobe (barro amassado com areia e palha)
    • Têm um só piso onde habita a família. Os animais, produtos e instrumentos agrícolas são guardados em construções junto à habitação como currais, celeiros, adegas, etc
    • As casas das zonas mais quentes (Alentejo e Algarve) são caiadas de branco para melhor suportar o calor de verão
  • Casas rurais das regiões autónomas:
    • Construídas em basalto
    • São quase sempre caiadas

 

Ao longo do século XX, a construção tradicional rural tem vindo a ser substituída por um modelo mais próximo do tipo de construção urbana, que proporciona um maior conforto, com o recurso a materiais mais modernos e acessíveis – a vivenda.

 

O trabalho

As principais atividades económicas no meio rural são:

  • Agricultura
  • Pecuária
  • Silvicultura

 

No entanto, a introdução da máquina nas atividades económicas tem libertado os habitantes das aldeias para outras atividades profissionais:

  • no núcleo urbano mais próximo: na indústria ou em serviços
  • em casa ou em pequenas oficinas: atividades artesanais, reparações mecânicas, elétricas, etc.

 

O dia-a-dia

A vida da população do meio rural sofreu grandes alterações, sobretudo a partir da segunda metade do século XX. Destacam-se as melhorias a nível de:

  • saneamento básico: rede de esgotos, canalização, recolha de lixo, tratamento de água
  • infra-estruturas: distribuição de eletricidade e de gás, rede de transportes, estradas
  • equipamentos coletivos: escolas, centros de saúde, campos desportivos, espaços verdes

Hoje em dia é frequente as famílias terem carro próprio e a deslocação às vilas e às cidades mais próximas tornou-se mais fácil. Sendo assim o acesso a bens e serviços desses meios é mais facilitado o que contribui também para a melhor qualidade de vida das populações do meio rural.

No entanto, ainda existem algumas povoações, sobretudo do Interior, que não tiveram acesso a muitas destas melhorias continuando muito isoladas do resto das povoações e núcleos urbanos.

 

 

 

OS CENTROS URBANOS: ÁREAS DE ATRAÇÃO DA POPULAÇÃO

 

 

Características dos centros urbanos

O povoamento urbano corresponde a um espaço onde a densidade populacional é elevada e onde existe um grande número de habitações e edifícios industriais próximos uns dos outros. Nos centros urbanos é possível apontar algumas características:

  • Existência de um centro histórico: que corresponde ao primeiro núcleo de habitantes.  Geralmente nesta zona encontram-se casas comerciais e de serviços, centros escolares e de saúde, instalações administrativas e judiciais. À sua volta foram crescendo novos espaços habitacionais à medida que a cidade foi crescendo
  • Existência de poucos espaços verdes: os que existem são geralmente criados pelo Homem
  • Existência de grandes centros comerciais: hipermercados e grandes centros comercias surgem nos arredores da cidade

 

 

Distribuição do povoamento urbano

Os centros urbanos localizam-se sobretudo junto ao litoral. No Interior existem poucas cidades e são de pequena dimensão.

Nas Regiões Autónomas, destacam-se o Funchal, na Madeira, e Ponta Delgada, nos Açores.

 

 

As condições de vida no centros urbanos

 

A habitação

Os edifícios mais frequentes nos centros urbanos são os prédios com vários andares divididos em apartamentos. No entanto também existem outros tipos de habitação que refletem duas realidades bastante diferentes: as vivendas e as barracas.

 

O trabalho

As principais atividades económicas no meio urbano são:

  • Comércio
  • Indústria
  • Serviços

 

O dia-a-dia

Ao longo das últimas décadas, tem-se verificado uma melhoria das vias de comunicação e das redes de transporte, o que contribuiu para a redução da distância-tempo, ou seja, o tempo gasto em deslocações.

Nos centros urbanos, o acesso a serviços de saúde, educação, lazer, etc. é bastante mais fácil do que no espaço rural. Existe também uma maior oferta de bens de consumo e existem também mais habitações e mais bem equipadas. A oferta de emprego é maior, bem como o acesso aos estudos e melhores condições de vida. Por isso, considera-se que os centros urbanos são áreas atrativas, o que tem provocado o seu aumento e desenvolvimento com a chegada de mais pessoas.

 

 

 

PROBLEMAS DA VIDA QUOTIDIANA NAS CIDADES E NO CAMPO

 

 

Acessibilidade

As necessidades do mundo moderno têm provocado transformações importantes nas vias de comunicação. É cada vez maior a circulação de pessoas e de produtos e a velocidade das deslocações é fundamental para, por exemplo, as pessoas chegarem a horas ao emprego e os produtos frescos chegarem ao destino em boas condições.

Sendo assim, os meios de transporte e as vias de comunicação têm vindo a sofrer um grande desenvolvimento nas últimas décadas. No entanto, é possível verificar desigualdades entre o meio urbano e o meio rural.

 

No meio urbano

Aspetos positivos:

  • Variedade de meios de transporte (viatura particular, autocarro, táxi, metro, comboio, etc.)
  • Grande rede de vias de comunicação que interligam os vários meios de transporte

 

Aspetos negativos:

  • Volume de tráfego intenso
  • Demora nas deslocações, sobretudo nas “horas de ponta”
  • Transportes coletivos frequentemente cheios e com dificuldade em cumprir os horários
  • Poluição

 

No meio rural

Aspetos positivos:

  • Volume de tráfego reduzido, por isso as deslocações locais são rápidas e fáceis

 

Aspetos negativos:

  • Número reduzido de vias e meios de comunicação
  • Poucos transportes públicos

 

 

Níveis de conforto

A qualidade de vida depende do nível de conforto da habitação e dos bens e serviços a que a população tem acesso.

Na sua maioria, no meio urbano, as habitações possuem as condições consideradas mínimas de conforto: água canalizada, eletricidade e saneamento básico (instalações sanitárias). No entanto, no meio rural, ainda predominam muitas habitações sem estas condições mínimas de conforto, sobretudo as mais antigas e mais afastadas de núcleos urbanos.

Também a nível de serviços e equipamentos coletivos verificam-se algumas desigualdades. É nas cidades que se encontram os melhores e mais modernos hospitais, centros clínicos, universidades, escolas, bibliotecas, teatros, cinemas e recintos desportivos. No meio rural existe pouca oferta de serviços de assistência médica, maior dificuldade no acesso à instrução e cultura e a outros serviços úteis como bancos.

 

De uma forma geral, pode-se concluir que é no meio urbano onde se encontram melhores níveis de conforto, por isso tem-se verificado um grande movimento da população do meio rural para os núcleos urbanos. No entanto, também as cidades têm os seus problemas, como o trânsito, a poluição e insegurança, o que leva a algumas pessoas a preferirem o meio rural.

 


 

Revê aqui a matéria/resumo de matemática/síntese de HGP:

 


 

EXERCÍCIOS

Em breve

 


 

O que tens de saber neste capítulo, segundo o programa e metas curriculares de HGP – 6º ano:

 

DOMÍNIO: PORTUGAL HOJE

SUBDOMÍNIO: OS LUGARES ONDE VIVEMOS

  • Compreender as características da população rural e urbana e os seus modos de vida
  1. Definir povoamento.
  2. Caraterizar o povoamento rural e o urbano.
  3. Definir modo de vida.
  4. Caraterizar os modos de vida predominantes no espaço rural e no espaço urbano
  5. Reconhecer a crescente interpenetração entre modos de vida rurais e urbanos.
  6. Reconhecer a crescente complementaridade e interdependência entre o espaço rural e o espaço urbano

 

  • Conhecer a desigual dinâmica populacional das áreas rurais e das áreas urbanas
  1. Comparar a evolução da população rural e da população urbana em Portugal, nas últimas décadas.
  2. Definir taxa de urbanização.
  3. Definir êxodo rural.
  4. Relacionar a crescente taxa de urbanização com o êxodo rural.
  5. Localizar as principais áreas urbanas em Portugal.
  6. Identificar os principais problemas das áreas urbanas e das áreas rurais em Portugal.
  7. Apontar soluções para os problemas identificados nas áreas urbanas e nas áreas rurais em Portugal.

 

  • Compreender a atratividade exercida pelas áreas urbanas
  1. Distinguir área atrativa de área repulsiva.
  2. Interpretar a distribuição regional dos equipamentos ligados à saúde, educação, cultura, desporto, audiovisuais (…).
  3. Justificar a atratividade das áreas urbanas pela maior disponibilidade na oferta de emprego e concentração de equipamento de saúde, educação, lazer (…).

 


 

|   Voltar à lista dos conteúdos do 6º ano – HGP   |

 

You may also like...