Seremos mesmo livres? Até onde vai a nossa liberdade?


Seremos mesmo livres? Até onde vai a nossa liberdade?

E na semana do 25 de abril chega este meu pensamento. Vivemos num mundo onde sabemos que somos livres. Que podemos fazer as nossas escolhas. Mas, de repente, parece que a nossa liberdade se evaporou.

Desde dia 18 de março de 2020 que foi decretado o estado de emergência em Portugal, e desde aí vivemos com regras específicas esta situação excecional.

Estamos todos, ou pelo menos a maior parte, confinados às nossas quatro paredes. Esperamos que inventem uma vacina, ou que o vírus se vá simplesmente embora, para que as nossas vidas voltem à normalidade, ou perto disso. Será que perdemos a nossa liberdade?
Mas será isto verdade?
Será que perdemos a nossa liberdade de um dia para o outro?
Eu acho que não!
Continuamos livres!

Tal como Jean-Paul Sartre dizia, a liberdade reside no ato da escolha. Para este filósofo francês, o ser humano é livre, e dessa forma escolhemos sempre. Não há como evitar! Quando dizemos que não temos escolha, é porque não nos agrada ou não queremos as opções disponíveis, mas elas existem sempre.
Desde o nosso nascimento até ao fim da nossa vida, estamos sempre a fazer escolhas e a viver com as consequências das mesmas, mas nunca deixamos de ser livres.
Por isso, continuamos livres e a fazer as nossas escolhas. Espero que façam as mais corretas, para que as consequências não sejam duras convosco.

EU SOU LIVRE E ESCOLHO:
• Ficar em casa, para me proteger a mim e aos meus familiares e amigos.
• Apelar a que todos fiquem em casa, para se protegerem.
• Aconselhar que quando tiverem de sair, tomem as devidas precauções.

EU SOU LIVRE E ESCOLHO:
• Fazer compras pela internet.
• Ser cozinheira e reinventar novas receitas com os ingredientes disponíveis.
• Multiplicar as 24 horas do dia para que cheguem para tudo.
• Trabalhar a partir de casa.
• Ser professora da minha filha, pois a sua escola está encerrada.
• Ser colega da minha filha, pois a necessidade faz-me ter de relembrar a matéria.

EU SOU LIVRE E ESCOLHO:
• Ser grata.
• Ser feliz.
• Ser solidária.

E, com isto, chego à conclusão que a nossa liberdade não pode ser questionada, mas sim vivida. Gosto de agradecer a oportunidade que tenho de olhar em volta e poder fazer as minhas escolhas.

EU SOU LIVRE E ESCOLHO fazer este apelo para que a sua saúde não fique condicionada pela sua liberdade!

SEJA LIVRE E ESCOLHA FICAR EM CASA!

 

 

Filipa Cordeiro C.

 


MAIS ARTIGOS

 

O que sente um professor num fim de ano letivo sem alunos na escola

  O que sente um professor num fim de ano letivo sem alunos na escola   Este ano não houve festa de final de ano, os alunos não se puderam despedir dos colegas nem...

0 comments

Aqui jaz a Educação!… R.I.P…

Artigo sobre educação – Susana Lionço

0 comments

Apelo a todos os Portugueses

APELO a TODOS OS PORTUGUESES que FIQUEM EM CASA! Estamos todos juntos e vamos ficar todos bem!

0 comments

ARTIGOS     DESAFIOS     EFEMÉRIDES     LIVROS     ONDE IR EM FAMÍLIA     VÍDEOS