Conto | O Diário de Anne Frank

 

CONTO

O DIÁRIO DE ANNE FRANK


Vídeos Youtube

Um breve resumo!

Filme completo e legendado!


Apresentações ISSUU (Português do Brasil)

Para ler!

Para ler o diário gráfico!

 


Comprar o livro na livraria virtual WOOK

Para reler e guardar!

O DIÁRIO DE ANNE FRANK – DIÁRIO GRÁFICO

de Ari Folman, David Polonsky e Anne Frank.

edição: Porto Editora, novembro de 2019 ‧ isbn:  978-972-0-04044-2

 

SINOPSE

Plano Nacional de Leitura.

Escrito entre 12 de junho de 1942 e 1 de agosto de 1944, O Diário de Anne Frank foi publicado pela primeira vez em 1947, por iniciativa de seu pai, revelando ao mundo o dia a dia de dois longos anos de uma adolescente forçada a esconder-se, juntamente com a sua família e um grupo de outros judeus, durante a ocupação nazi da cidade de Amesterdão.

Todos os que se encontravam naquele pequeno anexo secreto acabaram por ser presos em agosto de 1944, e em março de 1945 Anne Frank morreu no campo de concentração de Bergen-Belsen, a escassos dois meses do final da guerra na Europa. O seu diário tornar-se-ia um dos livros de não ficção mais lidos em todo o mundo, testemunho incomparável do terror da guerra e do fulgor do espírito humano.

Lançada mundialmente em celebração do 70º aniversário de O Diário de Anne Frank, esta é a sua primeira adaptação para banda desenhada, realizada com a autorização da família e tendo por base os textos originais do diário.

Críticas de imprensa
O guião de Folman não descura nenhum dos momentos essenciais da história – do quotidiano e sobressaltos da vida clandestina ao desenlace trágico – mas tem a virtude de se focar essencialmente na evolução psicológica e emocional de uma adolescente muito complexa, por vezes conflituosa (sobretudo com a mãe e a irmã), de amores extremados (pelo pai, por Peter), rebelde e impulsiva, cheia de dúvidas e angústias, às vezes doce, sempre muito inteligente.

Expresso (4 ****)

Uma adaptação fiel ao livro. […] O livro não se furta ao desespero, mas contraria-o, ilustrando o humor e a ironia da própria Anne Frank, humanizando o drama das famílias […]. E para o equilíbrio desta relação, muito contribuiu a sensibilidade de Folman e de Polonsky à escrita da jovem.

José Marmeleira, Público

A atualidade de O Diário de Anne Frank ficou demonstrada com a presença de mais de meia centena de jornalistas de todo o mundo para a apresentação da novela gráfica, facto que Polonsky justificou deste modo: “É a história de uma rapariga cujo diário faz eco em muitos leitores desde sempre, e que explica o funcionamento do Holocausto.”

João Céu e Silva, Diário de Notícias

 


O DIÁRIO DE ANNE FRANK

de Anne Frank.

edição: Livros do Brasil, março de 2019 ‧ isbn:  978-972-38-2911-2

 

SINOPSE

Plano Nacional de Leitura.

Livro recomendado para o 8.º ano de escolaridade, destinado a leitura orientada.

Escrito entre 12 de junho de 1942 e 1 de agosto de 1944, O Diário de Anne Frank foi publicado pela primeira vez em 1947, por iniciativa de seu pai, revelando ao mundo o dia a dia de dois longos anos de uma adolescente forçada a esconder-se, juntamente com a sua família e um grupo de outros judeus, durante a ocupação nazi da cidade de Amesterdão.

Todos os que se encontravam naquele pequeno anexo secreto acabaram por ser presos em agosto de 1944, e em março de 1945 Anne Frank morreu no campo de concentração de Bergen-Belsen, a escassos dois meses do final da guerra na Europa. O seu diário tornar-se-ia um dos livros de não ficção mais lidos em todo o mundo, testemunho incomparável do terror da guerra e do fulgor do espírito humano.

 


Também te pode interessar…

Ajuda o nosso site colocando gosto na nossa página de Facebook!