História 8º ano | O Antigo Regime europeu: regra e exceção

 

O ANTIGO REGIME EUROPEU: REGRA E EXCEÇÃO

 


 

Revê aqui a matéria/resumo de matemática/síntese de História:

 


 

EXERCÍCIOS

Teste   |   enunciado

 

 


O que tens de saber neste capítulo, segundo o programa e metas curriculares de História – 8º ano:

 

DOMÍNIO: O CONTEXTO EUROPEU DOS SÉCULOS XVII E XVIII

SUBDOMÍNIO: O ANTIGO REGIME EUROPEU: REGRA E EXCEÇÃO

 

  • Conhecer e compreender o Antigo Regime europeu a nível político e social
  1. Definir Antigo Regime.
  2. Reconhecer o absolutismo régio como o ponto de chegada de um processo de centralização do poder régio iniciado na Idade Média.
  3. Identificar os pressupostos fundamentais do absolutismo régio, nomeadamente a teoria da origem divina do poder e as suas implicações.
  4. Reconhecer a corte régia e os cerimoniais públicos como instrumentos do poder absoluto.
  5. Caracterizar a sociedade de ordens de Antigo Regime, salientando as permanências e as mudanças relativamente à Idade Média.
  6. Destacar a relevância alcançada por segmentos da burguesia mercantil e financeira nas estruturas sociais da época.

 

  • Conhecer os elementos fundamentais de caracterização da economia do Antigo Regime europeu
  1. Reconhecer o peso da economia rural no Antigo Regime, sublinhando o atraso da agricultura devido à permanência do Regime Senhorial.
  2. Salientar a importância do comércio internacional na economia de Antigo Regime.
  3. Explicar os objectivos e medidas da política mercantilista.
  4. Relacionar o mercantilismo com a grande competição económica e política entre os estados europeus no século XVII.
  5. Explicar a adopção de políticas económicas não protecionistas, por parte da Inglaterra, num contexto de predomínio de teorias mercantilistas.

 

  • Conhecer e compreender os elementos fundamentais da arte e da cultura no Antigo Regime
  1. Caracterizar a arte barroca nas suas principais expressões.
  2. Reconhecer a importância do método experimental e da dúvida metódica cartesiana para o progresso científico ocorrido.
  3. Reconhecer a consolidação, nestes séculos, do desenvolvimento da ciência e da técnica, referindo os principais avanços científicos e os seus autores.

 

  • Conhecer e compreender a afirmação política e económica da Holanda e da Inglaterra, nos séculos XVII e XVIII
  1. Apontar as características da organização política das Províncias Unidas (República com um governo federal).
  2. Referir a recusa da sociedade inglesa em aceitar a instauração do absolutismo.
  3. Reconhecer, nas Províncias Unidas e na Inglaterra, no século XVII, a existência de uma burguesia urbana, protestante, com capacidade de intervenção política e de pôr o seu poder económico ao serviço do Estado.
  4. Relacionar o dinamismo e os valores dessa burguesia com a criação de instrumentos comerciais, financeiros e políticos inovadores e eficazes.
  5. Reconhecer a capacidade que ingleses e holandeses demonstraram ao nível da acumulação de capital e do seu reinvestimento no comércio internacional (capitalismo comercial).

 

  • Conhecer as diferentes etapas da evolução de Portugal, em termos políticos, sociais e económicos, no século XVII e na primeira metade do século XVIII
  1. Reconhecer o reinado de D. João V como um momento de afirmação da monarquia absoluta de direito divino em Portugal, mas limitado pela necessidade de respeitar os costumes, a justiça e as leis fundamentais do reino.
  2. Caracterizar a sociedade portuguesa como uma sociedade de ordens, salientando o predomínio das ordens privilegiadas na apropriação dos recursos económicos e da existência de uma burguesia sem grande aptidão pelo investimento nas atividades produtivas e com aspirações de ascender à nobreza e ao seu modo de vida.
  3. Caracterizar da economia portuguesa na primeira metade do século XVII, salientando a prosperidade dos tráfegos atlânticos (especialmente a rota do comércio triangular).
  4. Identificar as dificuldades da economia portuguesa no final do século XVII.
  5. Relacionar as dificuldades vividas pela economia portuguesa no final do século XVII com a implementação de medidas mercantilistas.
  6. Avaliar o impacto das medidas mercantilistas no sector manufactureiro e na balança comercial portuguesa.
  7. Explicar o impacto do Tratado de Methuen e do afluxo do ouro brasileiro no sector manufactureiro e na balança comercial portuguesa. 8. Avaliar as consequências internas e externas do afluxo do ouro do Brasil a Portugal.

 


 

|   Voltar à lista dos conteúdos do 8º ano – História   |

 

You may also like...