O que sente uma criança que acabou o ano letivo em casa

 

No meu artigo anterior, escrevi o que sente um professor num fim de ano letivo sem alunos na escola. Foi nesse âmbito que pedi à professora da minha filha que tentasse transpor o que sente neste fim de ano letivo por palavras, e pude partilhá-las no meu artigo. Hoje, vou escrever sobre outra perspetiva: o que sente uma criança que acabou o ano letivo em casa.

Mais uma vez, recorri a um caso particular e pessoal: a minha filha Margarida, de 6 anos, que no próximo ano letivo vai para o 1º ciclo e que não pôde despedir-se da sua professora do Pré-Escolar, nem dos colegas, nem das auxiliares.

Como não sabe escrever, vou transcrever as suas respostas às minhas perguntas:

 

Gostaste da escolinha este ano letivo?
Margarida: “Sim, muito!”.

E da professora?
Margarida: “Muito, sim, sim!”.

O que sentiste quando soubeste que a escola ia fechar e que já não podias ir ver a professora e os teus colegas?
Margarida: “Mal. Estou muito triste por a escola ter fechado. Para mim, sábado e domingo já eram grandes férias!”.

Do que sentes mais saudade?
Margarida: “Da professora e das auxiliares. E também tenho muitas saudades dos meus colegas”.

 

Com estas simples perguntas é fácil perceber a falta dos afetos da professora e das auxiliares, e também dos colegas. A Margarida é uma menina que gosta muito de aprender, é curiosa e trabalhadora, mas neste momento o peso dos afetos ultrapassa tudo o resto. As saudades dos coleguinhas foram-se minimizando através de vídeo-chamadas e através de mensagens por emojis! Mas, nada substitui o calor de um abraço, ver ao vivo um sorriso…

 

As saudades são muitas, de parte a parte, e parece que não se fechou um ciclo. Mas podemos tentar fazer algo de positivo. Só sentimos saudades de quem gostamos, e se sentimos saudades, é porque temos pessoas de quem gostamos e que nos fazem falta. Portanto, lanço um desafio! Não há ninguém que não goste que lhe seja reconhecido o valor, quer seja a nível profissional ou pessoal. Se ainda não o fez, faça um vídeo, uma gravação de voz, ou simplesmente escreva uma mensagem do seu filho a dizer o quanto gosta do seu professor, e envie-lhe. Qualquer manifestação de reconhecimento e carinho recebida por um professor a partir dos seus alunos é um presente dos melhores que se pode receber. São confirmações de um caminho, que por vezes é difícil, mas também gratificante. O reconhecimento, é a cereja no topo do bolo!

 

Para dar o exemplo, sugeri o mesmo aos pais dos coleguinhas da Margarida e fizemos o seguinte vídeo:

 

Para ti, Graça! Obrigada por tudo!

 

 

Filipa Cordeiro C.

 


MAIS ARTIGOS

 

O que sente um professor num fim de ano letivo sem alunos na escola

  O que sente um professor num fim de ano letivo sem alunos na escola   Este ano não houve festa de final de ano, os alunos não se puderam despedir dos colegas nem...

0 comments

O ser professor/educador…

Artigo sobre educação – Susana Lionço

0 comments

O uso da empatia com os nossos adolescentes

Nem sempre é fácil, mas é possível. Sermos conscientes e termos vontade é a primeira parte, depois praticar vai colocar-nos no bom caminho!

0 comments

ARTIGOS     DESAFIOS     EFEMÉRIDES     LIVROS     ONDE IR EM FAMÍLIA     VÍDEOS