Coronavírus ou COVID-19 – Teorias, Factos e Informações


Como todos já demos por isso, desde o final do ano passado, a palavra de ordem é Coronavírus (ou COVID-19).

Mas o que é, o que devemos saber, como nos devemos prevenir, e o que fazer em caso de dúvida, sintomas ou desconfiança!?

Primeiro que tudo, é importante saber que os coronavírus são um grupo de vírus que podem causar infeções nas pessoas.

O nome COVID-19 surgiu para especificar este novo coronavírus que foi identificado pela primeira vez na China, na cidade de Wuhan, província de Hubei, no final de 2019. O nome é composto da seguinte forma:

A fonte de infeção ainda é desconhecida, mas já se conhecem os seus sintomas, que são semelhantes aos de uma gripe: febre, tosse, falta de ar e cansaço.

O período de incubação do vírus é de 2 a 14 dias, e julga-se que é transmitido de forma direta pelas gotículas expelidas quando se tosse ou espirra, ou de forma indireta através de objetos contaminados por pessoas infetadas.

Os animais domésticos não transmitem o vírus, e ainda não há tratamento específico para esta infeção.

Para prevenir a sua contaminação, recomendam-se os cuidados habituais:

  • Evitar a proximidade com pessoas que apresentem infeções respiratórias,
  • Lavar frequentemente e bem as mãos,
  • Não mexer nos olhos, nariz e boca,
  • Tapar o nariz e boca ao espirrar ou tossir, com um lenço descartável, para que o deite no lixo após utilizar, ou com o braço.

Já houve outros surtos de Coronavírus em anos anteriores:

  • SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave) em 2002-2003, morreram 774 pessoas de cerca de 8 mil, ou seja, 9,6% do total de infetados.
  • MERS (Síndrome Respiratória do Médio Oriente) em 2012, teve uma taxa de mortalidade de 34,4%, matando 858 dos cerca de 3 mil infetados.

Até à data da publicação deste artigo, este novo vírus apresenta uma taxa menor de mortes (6%), mas muitos mais infetados. Até às 23h do dia de ontem já existiam 92880 casos, em 74 países diferentes, dos quais resultaram 3168 mortes e 48494 já estavam recuperados.

 

A maior parte das vítimas mortais tratava-se de pessoas idosas ou portadoras de doenças crónicas, ou seja, já tinham o seu sistema imunológico enfraquecido.

Espero que esta epidemia faça com que as pessoas fiquem mais atentas e despertas à prevenção e não apenas ao tratamento. Seria benéfico a adoção de hábitos saudáveis e de prevenção ao invés de andarem sempre a correr atrás do prejuízo.

Já muito se escreveu sobre este tema, já muito se inventou e já muito se especulou. São notícias sem fim, uma população sedenta de informação (muitas vezes incorreta), corridas às farmácias e supermercados em busca de máscaras, álcool e alimentos em conserva.

Há quem diga que foi um vírus inventado em laboratório como arma biológica, que o Bill Gates o financiou, que os EUA é que o criaram para promover uma guerra económica com a China… Existem dois livros, um escrito em 1981, “The Eyes of Darkness” (Os Olhos da Escuridão), e outro em 2008, “End of Days: Predictions and Prophecies about the End of the World (Fim dos dias: Previsões e profecias sobre o fim do Mundo), que são agora referidos como contendo a previsão do surto que está a decorrer. Estas são só algumas das teorias que estão a surgir entre os fanáticos das conspirações, e não só. Isto porque é um assunto que está a levantar muitas dúvidas acerca da sua origem, se foi natural ou causada com alguma intenção específica.

O que é certo, é que com tudo isto a economia mundial já sofreu efeitos muito acentuados. Muitos monumentos e museus fecharam, houve imensos cancelamentos de eventos desportivos e culturais, cancelamentos de voos, existe também uma diminuição da produção nas indústrias, uma baixa na venda de produtos e serviços secundários.

Acho sim que é importante estarmos informados, mas, por favor, bem informados! Por isso, sigam a informação atualizada no site da Direção-Geral da Saúde (DGS). Alguma dúvida, liguem para o número do SNS 24 (808 24 24 24).

 

Na semana passada, sugeri um simples exercício de dois pontos fundamentais para a obtenção de dias mais felizes. Esta semana, volto a sugerir o mesmo, mas com um extra. Saia para a rua, vá fazer exercício! Uma corrida ou uma simples caminhada ao ar livre (pois não recomendo sítios fechados com muita gente, por causa dos vírus que aí andam!). O exercício é super importante para um corpo e uma mente sã.

Durante a caminhada/corrida sorria com quem se cruzar. Fará a diferença para alguém. E quando estiver mais cansado… Respire fundo e comece de novo!

 

Filipa Cordeiro C.

 


MAIS ARTIGOS

 

O que sente um professor num fim de ano letivo sem alunos na escola

  O que sente um professor num fim de ano letivo sem alunos na escola   Este ano não houve festa de final de ano, os alunos não se puderam despedir dos colegas nem...

0 comments

ARTE – Afinal, é o que andamos todos a fazer!

Dia 15 de abril, dia Mundial da Arte!

0 comments

No ensino à distância estarão os professores a avaliar alunos, pais ou explicadores?

Temos de repensar o ensino, a forma tradicional de um professor por disciplina e que não colabora com os outros professores, novas formas de ensinar que não estejam dependentes de uma sala de aula, e novas formas de avaliar

0 comments

ARTIGOS     DESAFIOS     EFEMÉRIDES     LIVROS     ONDE IR EM FAMÍLIA     VÍDEOS


 

Também te pode interessar…

Ajuda o nosso site colocando gosto na nossa página de Facebook!