Parabéns pela conquista e pelas aprendizagens!

 

PORTUGAL É CAMPEÃO EUROPEU!!!

Estamos todos felizes, eufóricos e orgulhosos pela conquista do campeonato europeu por parte da nossa seleção de futebol, e o Bichinho do Saber aproveita este mediatismo para dar relevância a várias aprendizagens que se podem adquirir com este acontecimento fenomenal.

 

1. Devemos traçar objetivos 

Portugal nunca teria sido campeão europeu se não tivesse traçado esse objetivo. Saber o que queremos é o início de um longo caminho para o sucesso.

 

2. Devemos trabalhar e lutar pelos nossos objetivos

Podemos olhar para a maior referência desta seleção: Cristiano Ronaldo, com vários títulos a nível pessoal, a nível de clubes e agora a nível de seleções. Mais uma vez vai concorrer para o prémio de melhor do mundo, e dificilmente este ano lhe fugirá esse prémio novamente. Qual será a principal razão para este sucesso tremendo? Todos sabem que o talento está lá, nasce com os melhores, mas apenas conseguiu atingir este patamar com muito trabalho, esforço, dedicação e espírito de sacrifício. Trabalhou para ser melhor, e depois para ser o melhor. Muitas horas, dias, anos de treino, sempre a tentar superar-se… O sucesso não vem de um dia para o outro…

 

3. O sucesso individual advém de um trabalho coletivo, tal como o sucesso coletivo advém da determinação e vontade individual de todos os intervinientes

Fernando Santos teve o apoio da sua equipa técnica, os jogadores tiveram o apoio da equipa médica, Ronaldo teve o apoio de todos os restantes jogadores da seleção… São vários os fatores e pessoas que contribuíram para o sucesso de Ronaldo na sua carreira, ou da própria seleção neste campeonato europeu… Os adeptos que vivem em Portugal, e os imigrantes que estiveram em França a apoiar a seleção, e por todo o mundo… E esta final mostrou a todos que a seleção não é só Ronaldo… Perdemos o nosso melhor jogador, o melhor jogador do mundo, no jogo mais importante do torneio, mas a equipa soube unir-se, e todos os jogadores presentes em campo deram o melhor de si e mostraram que a seleção também são eles.

Desta forma, ganharam todos, não só Ronaldo… Ganhou o Éder que acreditou, lutou e marcou o golo da vitória, depois de ser tão criticado… Ganhou o Rui Patrício, que sai deste jogo com uma série de defesas impressionantes e que, juntamente com Pepe e José Fonte, foi uma muralha a proteger a baliza portuguesa, contanto também com o apoio dos pequenos gigantes Cédric e Raphael, da calma de William e garra enorme de Danilo, João Moutinho, Adrien, João Mário… Ganhou Renato que mostrou ao mundo todo o potencial que tem para ser um dos melhores do mundo. Ganhou Quaresma, o mágico, a flecha experiente Nani, e de todos os que entraram e contribuíram e deram o seu máximo em todos os momentos que foram chamados, seja nos jogos ou nos treinos. Rafa, Vierinha, Eliseu (mais um patinho feio mas que dá tudo em campo, com uma raça impressionante), Anthony Lopes e Eduardo. Ganhou Ronaldo, que depois de ganhar tudo a nível de clubes e a nível pessoal, também ganhou um título a nível de seleções, muito graças à determinação, ambição dele e de todos os que o ajudaram nesse feito. Ganhámos também nós que pudemos festejar e sentirmo-nos orgulhosos por sermos portugueses!

 

4. Devemos ter confiança em nós, mesmo quando outros não e nos criticam

Fazer das dificuldades e adversidades força para trabalharmos mais e lutarmos mais para darmos a volta aos momentos menos bons. A seleção é exemplo disso, pois foi criticada desde o início até ao fim, mas no fim quem venceu foi Portugal. Outro exemplo é Éder! Tão criticado, mas foi incrível a determinação com que entrou em campo neste último jogo. Disputou com garra cada lance, ganhou vários duelos, ganhou faltas, serviu de ponto de referência no ataque português, soube segurar a bola e quando entrou já sentia que ia marcar golo, e marcou, o golo mais importante da história de futebol português!

 

5. Querer mais, lutar por mais

Degrau a degrau, a seleção foi atingindo os seus objetivos. Passou a fase de grupos, os oitavos-de-final, os quartos-de-final, a meia-final, e por fim venceu a final. Já acabou? Ainda não! Hora de festejar e, depois, será tempo de traçar novos objetivos. Daqui a um ano há Taça das Confederações, e daqui a dois Campeonato do Mundo. Será ambição demais desejar ganhá-las? Não! Tal como não foi ambição demais ambicionar sermos campeões europeus, e só assim o conseguimos. No entanto, será preciso manter os pés assentes no chão, saber que é preciso continuar trabalhar muito e, que mesmo assim, nem sempre os objetivos são atingidos, sobretudo quando somos assim tão ambiciosos… Degrau a degrau, com muito trabalho, sofrimento e por vezes alguma sorte, é possível!

 

Notas:

1ª nota: Um último apelo aos portugueses: que se sirvam destes exemplos e que peguem neste patriotismo que sentem agora para juntos tornarmos este país melhor… Todos nós somos importantes, cada um de nós tem um contributo a dar que irá influenciar a vida de todos nós e das gerações futuras.

2ª nota: Não foi só a seleção de futebol que teve um dia histórico ontem, dia 10 de julho de 2016. Parabéns a Sara Moreira que venceu a meia maratona, a Jéssica Augusto que ficou em terceiro, a Tsanko Arnaudov ficou em terceiro lugar no concurso de lançamento do peso, e a Patrícia Mamona que conquistou a medalha de ouro de triplo salto no Campeonato Europeu de Atletismo, que está a decorrer em Amesterdão. O Ronaldo tem uma impulsão impressionante? Tem sim, tal como esta atleta que saltou 14,58 metros e estabeleceu, assim, um novo recorde nacional de triplo salto feminino. Também em França, Rui Costa ficou em segundo numa etapa da Volta à França, em ciclismo. Fica a dica: saber valorizar o que é importante, não só o que é mais popular 😉

3ª nota: É tão fácil criticar, e criticamos muito… Criticámos Éder, criticámos Fernando Santos, e criticámos tantos jogadores da seleção, chegando muitas vezes essas críticas a serem bastante ofensivas… Hoje, são todos heróis… Devemos dar apoio e orgulharmo-nos de quem luta, se dedica e trabalha por algo tão grande como representar toda uma nação. Os jogadores tinham essa responsabilidade, e sentiram-na e deram o máximo de si. Nem sempre tudo correu bem, nem sempre tudo corre… Nem a Ronaldo, nem a Messi, que hoje são considerados os melhores dos melhores…. Felizmente houve quem apoiasse até ao fim, e felizmente que muitas das críticas acabaram por servir de motor de superação… Somos seres críticos, e é bom termos esse espírito crítico, mas também devemos ser equilibrados e dar valor mesmo quando as coisas não correm tão bem…

4ª e última nota: Porquê um artigo desportivo num site sobre Educação? Porque aprendemos com tudo o que nos rodeia, e decidi aproveitar o mediatismo deste acontecimento para deixar algumas mensagens que considero importantes. O sucesso foi atingido, e não foi por acaso. Devem professores, alunos e pais inspirar-se neste feito e aprender de alguma forma como se pode chegar ao sucesso, seja desportivo, escolar, profissional ou outros de carácter mais pessoal. Relembrem-se:

  1. Tracem objetivos
  2. Trabalhem e lutem para atingirem esses objetivos
  3. Procurem apoio e apoiem quem precise
  4. Sejam determinados e perseverantes, mesmo quando as coisas não correm bem, ou quando alguém não acredita em vocês
  5. Sejam atingidos ou não os objetivos, queiram mais e lutem por mais… podemos ser sempre melhores do que somos hoje

 

Se vibraram, se sentiram uma enorme felicidade e euforia quando o Éder marcou este golo, imaginem o que é estar no lugar dele nesse momento 😉 Vejam o vídeo 🙂

Não sejam apenas espectadores… Inspirem-se e lutem pelos vossos sonhos e objetivos

 

 

Luis Carrilho

You may also like...