História 9º ano | A Guerra Fria

 

A GUERRA FRIA

 

 


 

Revê aqui a matéria/resumo de matemática/síntese de História:

 


 

EXERCÍCIOS

Fichas   |   ficha1 » correção   |   ficha2 » correção   |   ficha3 » correção

 


 

O que tens de saber neste capítulo, segundo o programa e metas curriculares de História – 9º ano:

 

DOMÍNIO: DO SEGUNDO APÓS GUERRA AOS ANOS 80

SUBDOMÍNIO: A GUERRA FRIA

 

  • Conhecer e compreender a nova “ordem mundial” do após guerra
  1. Explicar o acentuar da perda de influência europeia e a emergência dos EUA e da URSS como as superpotências do após guerra.
  2. Distinguir os modelos políticos e económicos dos EUA e da URSS.
  3. Relacionar o antagonismo entre as duas superpotências com a formação de dois blocos político-ideológicos, militares e económicos.
  4. Justificar a hegemonia económica, financeira e militar dos EUA no bloco ocidental, salientando a criação da Organização Europeia de Cooperação Económica (OECE)/do “Plano Marshall” e a formação da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN).
  5. Descrever a expansão do comunismo na Europa de Leste e na Ásia.
  6. Caracterizar a Guerra Fria, salientando a existência de momentos de maior tensão e de momentos de relativo apaziguamento.
  7. Referir sucintamente alguns dos principais conflitos da Guerra Fria (Bloqueio de Berlim, Crise dos Mísseis em Cuba, Guerra da Coreia, Guerra do Vietname, Guerra de Angola e Guerra do Afeganistão).

 

  • Conhecer e compreender os efeitos da nova “ordem mundial” do após guerra em Portugal
  1. Relacionar a derrota dos fascismos na 2.ª Guerra Mundial com a aparente abertura do Estado Novo no imediato após guerra, destacando as eleições legislativas de 1945.
  2. Relacionar a perpetuação dos regimes fascistas peninsulares com a consolidação da Guerra Fria.
  3. Reconhecer na entrada de Portugal na OTAN (como membro fundador) e na ONU reflexos da aceitação ocidental do regime salazarista.
  4. Descrever as principais correntes de oposição perante a permanência da ditadura portuguesa, salientando as eleições presidenciais de 1949 e 1958.
  5. Caracterizar o novo modelo de crescimento económico adotado progressivamente pelo Estado Novo a partir da década de 50.

 

  • Conhecer e compreender os movimentos de independência das colónias do após guerra aos anos 70
  1. Identificar os fatores de crescimento do anticolonialismo no após guerra.
  2. Relacionar o apoio dos EUA e da URSS à descolonização com as tentativas de alargamento das respetivas áreas de influência.
  3. Reconhecer as vagas de descolonização da Ásia/Pacífico, do Médio Oriente, do Norte de África e da África Negra como resultado de um processo que se prolongou até à década de 70 do século XX.
  4. Explicar o surgimento do Movimento dos Países Não Alinhados, salientando a reivindicação de uma nova ordem económica internacional.
  5. Relacionar os problemas dos países do Terceiro Mundo com a dominação neocolonial e com os seus próprios bloqueios.

 

  • Conhecer e compreender as consequências da política do Estado Novo perante o processo de descolonização do após guerra
  1. Identificar as alterações introduzidas na política colonial do Estado Novo face ao processo de descolonização do após guerra e ao aumento da pressão internacional.
  2. Relacionar a recusa da descolonização dos territórios não autónomos com o surgimento de movimentos de libertação, com a invasão do “Estado Português da Índia” e com o eclodir das três frentes da Guerra Colonial.
  3. Explicar o relativo isolamento internacional de Portugal nas décadas de 60 e 70.
  4. Avaliar os efeitos humanos e económicos da Guerra Colonial na metrópole e nas colónias.

 

  • Conhecer e compreender o dinamismo económico-social dos países capitalistas desenvolvidos e de desenvolvimento intermédio (modelo de “Estado-Providência”) do após guerra aos anos 70
  1. Explicar as características fundamentais do “Estado Providência”.
  2. Enunciar fatores da hegemonia económica, tecnológica e cultural americana.
  3. Justificar o “milagre japonês” a partir da década de 50 do século XX.
  4. Descrever sucintamente as principais etapas do nascimento e expansão dos processos de integração da Europa ocidental.

 

  • Conhecer as características das sociedades ocidentais desenvolvidas
  1. Referir a intensificação do processo de terciarização, urbanização e crescimento das classes médias, apesar da manutenção de desigualdades sociais.
  2. Reconhecer o aumento da importância dos jovens na sociedade, nomeadamente através dos hábitos de consumo e das estruturas associativas estudantis
  3. Referir a crescente importância de expressões artísticas de vanguarda, de hábitos de consumo cultural de massas e de movimentos de contestação cultural e político-ideológica.

 

  • Conhecer e compreender a desagregação do Estado Novo
  1. Relacionar o atraso do mundo rural português com o intenso movimento migratório para as grandes áreas urbanas nas décadas de 50 e 60.
  2. Identificar os motivos da intensa emigração verificada nas décadas de 60 e inícios de 70.
  3. Indicar os efeitos dos movimentos migratórios na realidade portuguesa.
  4. Caracterizar o Marcelismo enquanto projeto político que recusou a democratização e a descolonização mas que, ao mesmo tempo, concretizou políticas de modernização económico-social e educativa.

 

  • Conhecer e compreender a Revolução democrática portuguesa
  1. Explicar as motivações do Golpe Militar do 25 de Abril de 1974.
  2. Mencionar os principais acontecimentos do 25 de Abril de 1974.
  3. Descrever sucintamente o processo revolucionário, salientando as divergências dos projetos políticos em confronto.
  4. Identificar as consequências do processo de descolonização dos antigos territórios não autónomos.
  5. Caracterizar a organização da sociedade democrática a partir da Constituição de 1976.
  6. Identificar as principais transformações e problemas económicos e sociais até 1986.

 

  • Conhecer e compreender a evolução ocorrida desde as “crises petrolíferas” até ao colapso do bloco soviético
  1. Referir as consequências das “crises petrolíferas” nos países capitalistas (desenvolvidos e subdesenvolvidos) e nos países comunistas.
  2. Referir a substituição do modelo keynesiano pelo modelo monetarista e a introdução das primeiras medidas neoliberais em países capitalistas desenvolvidos (EUA e Reino Unido).
  3. Confrontar os princípios básicos do “Estado Providência” com os do “Estado Neoliberal”.

 

  • Conhecer e compreender a unidade e diversidade do mundo comunista, os seus bloqueios e ruturas
  1. Identificar no mundo comunista a existência de um modelo dominante (o soviético) e de modelos alternativos, exemplificando com o modelo maoísta chinês.
  2. Indicar situações de intervenção da União Soviética em países da sua “zona de influência” com o objetivo de manter os regimes vigentes.
  3. Sintetizar os principais problemas políticos, económicos e sociais do “Bloco Soviético”.
  4. Relacionar as profundas alterações introduzidas pelas “perestroika” e “glasnost” de Gorbatchev com o colapso do bloco socialista e a desintegração da URSS.

 


 

|   Voltar à lista dos conteúdos do 9º ano – História   |

 

You may also like...