História 8º ano | Renascimento, Reforma e Contrarreforma

 

RENASCIMENTO, REFORMA E CONTRARREFORMA

 

RENASCIMENTO

 

O que foi o Renascimento?
  • Renascimento
    • movimento de renovação cultural inspirado na cultura clássica (greco-romana), que surgiu em Itália, no século XV
  • Justificação para esta designação
    • este movimento tem o nome de Renascimento porque foi considerado o “renascer” da cultura clássica

 

Porque surgiu em Itália?
  • rivalidade entre as cidades de estado que queriam os melhores palácios, igrejas, artistas e pensadores da época
  • prosperidade devido ao comércio que permitiu o acto do mecenato (patrocínio da cultura)
  • abundância de vestígios da arte greco-romana
  • bibliotecas com cópias de obras da Antiguidade e universidades que as estudavam
Difusão do Renascimento

A partir de Itália (Florença, Veneza, Roma e Bolonha), o movimento renascentista estendeu-se ao resto da Europa, sobretudo ás ricas  cidades da Flandres, à Inglaterra, à França, à Espanha e à Alemanha. A prosperidade vivida em Portugal, resultante da expansão, permitiu que Portugal acompanhasse a Europa nesta renovação.

Novos Valores
  1. Classicismo
    • inspiração na cultura greco-romana
  2. Antropocentrismo
    • Homem no centro das preocupações humanas
  3. Individualismo
    • Afirmação pessoal de cada individuo e valorização das suas realizações.
Humanismo
  • Humanistas
    • intelectuais da época do Renascimento que estudaram os autores antigos e, graças ao seu espírito critico, alargaram o saber em várias áreas.
  • Humanismo
    • movimento literário e filosófico que valorizava o Homem.

 

Principais Humanistas (obras sobre a Sociedade e o Homem)
  • Nicolau Maquiavel – O Príncipe (ciência política)
  • Erasmo de Roterdão – Elogio da loucura
  • Thomas More – Utopia
  • António de Gouveia
  • André de Gouveia
  • André de Resende
Principais Humanistas (criação literária)
  • Dante – Divina comédia
  • Bocaccio – Decameron
  • William Shakespeare – Hamlet, Romeu, Julieta, Otero, Macbeth
  • Miguel de Cervantes – Dom Quixote de La Mancha
  • Luís de Camões – Os Lusíadas
Principais Humanistas (áreas das ciências e da natureza)
  • Copérnico – (Modelo Heliocêntrico) – Astronomia
  • André Vesálio – Anatomia
  • Leonardo da Vinci – Anatomia
  • Duarte Pacheco – Geografia
  • D. João de Castro – Geografia
  • Pedro Nunes – Matemática
  • Garcia de Orta – Botânica
Invenção da imprensa

A activa produção Literária e Humanista pode ser divulgada graças á imprensa, inventada por Gutenberg, na Alemanha.

Contributo dos descobrimentos portuguesas

As viagens dos descobrimentos permitiram mostrar que algumas terias dos autores antigos estavam erradas (nomeadamente a de Ptolomeu). Descobriram novos territórios, espécies vegetais e animais, contribuindo assim para o progresso cientifico.

 

A ARTE DO RENASCIMENTO

 

Arquitectura Renascentista

Características

  • inspiração na arquitectura clássica: utilização das ordens dórica, jónica e corintia nas colunas, do arco de volta perfeita, da abóbada de berço, da cúpula e do frontão
  • equilíbrio e simetria
  • horizontalidade
  • utilização de cornijas e balaustradas
  • utilização de elementos inspirados na natureza e de estátuas de personagens da mitologia antiga na decoração.
Principais obras e arquitectos
  • Brunelleschi
    • cúpula da catedral da Santa Maria das Flores
  • Bramante – Basílica de S. Pedro
  • Miguel Ângelo – cúpula da Basílica de S. Pedro
ESCULTURA

Características

  • inspiração na escultura clássica
  • representação da figura humana
  • harmonia, realismo e naturalismo
Principais obras e arquitectos
  • Miguel Ângelo
    • David
    • Pieta
  • Donatello
    • estátuas equestres
  • Verrocchio
    • estátuas equestres
PINTURA

Características

  • pintura a óleo / técnica do sfumato
  • perspectiva
  • equilíbrio da composição (geralmente em pirâmide)
  • naturalismo e realismo
  • temas: cenas religiosas, da mitologia clássica, do quotidiano e o retrato
Principais pintores
  • Leonardo da Vinci
  • Miguel Ângelo
  • Rafael
  • Ticiano
  • Van Eyck
  • Albrecht Durer
  • Holbein

 

A ARTE EM PORTUGAL

A Arte Manuelina

Arquitectura Gótica-manuelino

  • durante os reinados de D. Manuel I e D. João III
  • elementos estruturais da arquitectura gótica
  • decoração alusiva aos Descobrimentos:
    • de carácter naturalista (troncos, raízes e folhagens)
    • de carácter marítimo (cordas, bóias, conchas, redes)
    • emblemas nacionais (cruz de Cristo, escudo real e esfera armilar)
Principais Obras
  • Mosteiro dos Jerónimos
  • Torre de Belém
  • Convento de Cristo (Tomar)
A Arte Renascentista em Portugal

 

Principais Obras de arquitectura

  • Igreja da Graça (Évora)
  • Claustro de D. João III (convento de Cristo, Tomar)
  • Igreja da Conceição (Tomar)

Principais pintores renascentistas portugueses

  • Nuno Gonçalves
    • Painéis de S. Vicente de fora
  • Vasco Fernandes (ou Grão Vasco)
  • Gregório Lopes
  • Francisco Henriques

 

REFORMA E CONTRARREFORMA

Igreja Católica do Séc. XVI
Importância da Igreja Católica

Até ao século XVI, a Igreja Católica dominava por completo a sociedade Europeia.

Crise na Igreja Católica
  • muitos membros do alto clero viviam no luxo e na opulência
  • a corrupção e a imoralidade eram frequentes
  • alguns humanistas começaram a criticar a Igreja e a apelar ao regresso à pureza original.
Bula de Indulgencias

Em 1513, o papa Leão X enviou pregadores a várias regiões da Europa pedindo aos fiéis que contribuíssem com dinheiro para as obras da Basílica de São Pedro e, em troca, recebiam uma bula de indulgencias.

Uma bula de indulgencias era um documento em que o papa perdoava os pecados.

As Noventa e Cinco Teses de Martinho Lutero

Em 1517, Martinho Lutero, um monge alemão, condenou as indulgencias através das 95 Teses, foi excomungado e apenas escapou à fogueira porque foi protegido por príncipes alemães.

 

REFORMA PROTESTANTE

 

Igreja Luterana (Alemanha)
  • o Homem alcança a salvação através da fé
  • pode interpretar livremente a Bíblia sem a intervenção do clero
  • reduziu os 7 sacramentos para apenas 2 (baptismo e comunhão)
  • aboliu o culto à Virgem e os Santos
  • defendeu e extinção do celibato
  • defendeu que a Igreja não deveria possuir propriedades

Os príncipes alemães apoiaram o luteranismo devido á possibilidade de ficarem com as propriedades da igreja.

Igreja Calvinista (Suíça, Holanda, Escócia e França)
  • o Homem já está destinado ou não à salvação desde a sua nascença (doutrina da predestinação)
Igreja Calvinista (Suíça, Holanda, Escócia e França)
  • o Homem já está destinado ou não à salvação desde a sua nascença (doutrina da predestinação)
Igreja Anglicana (Inglaterra)
  • procurava conciliar os princípios católicos e luteranos
  • foi fundada pelo Rei Henrique VIII que tornou-se, ele próprio, o chefe supremo da Igreja.
Europa Dividida

A Europa dividiu-se entre católicos e protestantes surgiram várias guerras, conflitos e massacres

 

A REACÇÃO DA IGREJA CATÓLICA

Reforma Católica

Para analisarem as criticas protestantes, os bispos e cardeais reuniram-se no Concilio de Trento.

Nesta reunião não foram aceites as propostas de mudança e foram reafirmados todos os dogmas da fé católica. Apenas procurou reformar os costumes do clero através de uma disciplina mais severa.

Contrarreforma

Para travar o avanço das ideias protestantes foram criados:

  • a Companhia de Jesus
    • defendia o catolicismo e promovia a sua difusão no mundo através da missionação, da pregação e do ensino
  • o Index
    • lista de livros cuja leitura era proibida
  • a Inquisação
    • tribunal que perseguia todos os suspeitos de praticarem outras religiões
O que se passou na Península Ibérica

As ideias protestantes praticamente não chegaram à Península Ibérica. No entanto, haviam bastantes Judeus. Em Espanha, a inquisição foi extremamente violenta para todos os suspeitos de não serem católicos. Em Portugal, D. Manuel expulsou os Judeus, os que ficaram e aceitaram converter-se ao cristianismo passaram a ser chamados cristãos-novos. No entanto, apesar de convertidos, continuaram a ser perseguidos, torturados e condenados em cerimónias públicas chamadas autos de fé.

 


 

Revê aqui a matéria/resumo de matemática/síntese de História:

 


 

EXERCÍCIOS

Teste   |   enunciado » correção

Nota: apenas os Grupo III e Grupo IV se referem a este capítulo

 


 

O que tens de saber neste capítulo, segundo o programa e metas curriculares de História – 8º ano:

 

DOMÍNIO: EXPANSÃO E MUDANÇA NOS SÉCULOS XV E XVI

SUBDOMÍNIO: RENASCIMENTO, REFORMA E CONTRARREFORMA

  • Conhecer e compreender o Renascimento
  1. Localizar no tempo e no espaço o aparecimento e difusão do movimento cultural designado como Renascimento.
  2. Enumerar razões que favoreceram a eclosão do Renascimento em Itália.
  3. Relacionar a redescoberta da cultura clássica com a emergência dos novos valores europeus (antropocentrismo, individualismo, valorização da Natureza, espírito crítico).
  4. Relacionar os valores cultivados pelo movimento renascentista com o alargamento da compreensão da Natureza e do próprio Homem, salientando exemplos do grande desenvolvimento da ciência e da técnica operado neste período (séculos XV a XVI).
  5. Identificar alguns dos principais representantes do humanismo europeu e as obras mais relevantes.
  6. Caracterizar a arte do Renascimento nas suas principais expressões (arquitetura, pintura e escultura).
  7. Caracterizar o estilo manuelino, identificando os seus monumentos mais representativos.
  8. Reconhecer o caráter tardio da arte renascentista em Portugal, identificando algumas obras do renascimento português.

 

  • Conhecer e compreender a Reforma Protestante
  1. Identificar os factores que estiveram na base de uma crise de valores no seio da Igreja e a crescente contestação sentida, sobretudo no início do século XVI.
  2. Relacionar o espírito e valores do Renascimento com as críticas à hierarquia e com o apelo ao retorno do cristianismo primitivo.
  3. Descrever a ação de Martinho Lutero como o decisivo momento de ruptura no seio da cristandade ocidental.
  4. Caracterizar as principais igrejas protestantes (luterana, calvinista e anglicana).
  5. Identificar as principais alterações introduzidas no culto cristão pelo reformismo protestante.
  6. Relacionar o aparecimento e difusão das igrejas protestantes com as condições e com as aspirações políticas, sociais e económicas da Europa central e do Norte.

 

  • Conhecer e compreender a reação da Igreja Católica à Reforma Protestante
  1. Distinguir na Reforma Católica o movimento de renovação interna e de Contrarreforma.
  2. Enumerar as principais medidas que emergiram do Concílio de Trento para enfrentar o reformismo protestante.
  3. Sublinhar o papel das ordens religiosas na defesa da expansão do catolicismo e na luta contra as heresias.
  4. Relacionar o ressurgimento da Inquisição e da Congregação do Índex, no século XVI, com a necessidade do mundo católico suster o avanço do protestantismo e consolidar a vivência religiosa de acordo com as determinações do Concílio de Trento.

 

  • Conhecer e compreender a forma como Portugal foi marcado por estes processos de transformação cultural e religiosa
  1. Sublinhar a adesão de muitos intelectuais e artistas portugueses ao Humanismo e aos valores e estética do Renascimento, na literatura, na arte e na produção científica.
  2. Identificar o âmbito da ação da Inquisição em Portugal, nomeadamente a identificação e controle de heresias ligadas à prática do judaísmo, de superstições, de práticas pagãs e de condutas sexuais diferentes e a vigilância da produção e difusão cultural através do Índex.
  3. Sublinhar a importância da ação da Companhia de Jesus no ensino, na produção cultural e missionação em Portugal e nos territórios do império.
  4. Reconhecer o impacto da atuação da Inquisição em Portugal, ao nível da produção cultural, da difusão de ideias e controle dos comportamentos.

 


 

|   Voltar à lista dos conteúdos do 8º ano – História   |

 

You may also like...