História e Geografia de Portugal 5º ano | Os Romanos na Península Ibérica

 

OS ROMANOS NA PENÍNSULA IBÉRICA

 

 

 

A CONQUISTA ROMANA E A RESISTÊNCIA DOS POVOS IBÉRICOS

 

 

A conquista

Os romanos eram um povo proveniente da Península Itálica que conquistaram vários territórios à volta do mar Mediterrâneo graças ao seu poderoso e organizado exército.

Atraídos pelas riquezas das Península Ibérica, conquistaram-na no séc. III a.C. Desta forma conseguiram o domínio do comércio do Mediterrâneo.

 

 

A resistência

As populações do litoral sul não ofereceram grande resistência. O mesmo não aconteceu com os povos do Centro e Norte que lutaram contra os romanos durante quase  200 anos. Um dos povos que se distinguiu na luta contra os romanos foram os Lusitanos, chefiados por Viriato. Estes montavam armadilhas e emboscadas aproveitando as montanhas e desfiladeiros.

 

 

O império romano

Entretanto não foi só conquistada a Península Ibérica, mas sim um conjunto de territórios à volta do Mediterrâneo que fez com que os romanos construíssem um grande Império. A sua capital era a cidade de Roma e possuíam territórios na Europa, Ásia e África. O chefe supremo do Império era o imperador.

 

 

 

A PENÍNSULA IBÉRICA ROMANIZADA

 

 

Herança romana

Os romanos permaneceram quase 700 anos na Península Ibérica e durante este tempo os costumes das pessoas alterou-se e  foram construídos edifícios e estruturas que influenciaram bastante o modo de vida da população. A todas as alterações provocadas pela presença dos romanos na Península Ibérica chama-se romanização.

 

As transformações mais significativas foram:

  • construção de estradas, aquedutos, pontes, teatros, balneários públicos, templos, monumentos;
  • casas cobertas com telha, com jardins exteriores e com mosaicos a decorar o pavimento;
  • intensificação da produção agrícola (vinho, azeite e trigo) e da exploração agrícola;
  • criação de indústrias: salga do peixe, olaria, tecelagem;
  • desenvolvimento do comércio;
  • maior uso da moeda;
  • a língua falada passa a ser o latim.

 

 

Era cristã

Este período também ficou marcado pelo surgimento de uma nova religião: o Cristianismo. Esta nova religião expandiu-se por todo o Império e a contagem do tempo passou-se a fazer pela era cristã, ou seja, a partir do do nascimento de Jesus Cristo (quem começou a pregar esta religião e que afirmava ser filho de Deus).

Na contagem do tempo podemos utilizar o ano, a década (10 anos), o século (100 anos) e o milénio (1000 anos).

 

Para fazer corresponder os anos aos séculos há duas regras bastante simples:

  • quando o ano termina em dois zeros o número de centenas indica o século. Ex: ano 1500, séc. XV;
  • quando o ano não termina em dois zeros, acrescenta-se uma unidade ao número das centenas. Ex: 1548, séc. XVI.

 


 

Vídeo

https://www.youtube.com/watch?v=shbTw0HEjVA

 


 

Revê aqui a matéria/resumo de matemática/síntese de HGP:

 


 

EXERCÍCIOS

Teste   |   enunciado   |   correção

Nota: apenas os Grupo I e III se referem a este capítulo.

 


 

O que tens de saber neste capítulo, segundo o programa e metas curriculares de HGP – 5º ano:

 

DOMÍNIO: A PENÍNSULA IBÉRICA: DOS PRIMEIROS POVOS À FORMAÇÃO DE PORTUGAL (SÉCULO XXII)

SUBDOMÍNIO: OS ROMANOS NA PENÍNSULA IBÉRICA

 

  • Conhecer e compreender o processo de conquista romana da Península Ibérica
  1. Localizar no espaço e no tempo a fundação da cidade de Roma e a sua expansão, destacando a grande dimensão geográfica atingida pelo Império Romano no período da sua máxima extensão.
  2. Localizar o início e o término da conquista da Península Ibérica.
  3. Indicar os motivos da conquista romana da Península Ibérica.
  4. Referir os lusitanos como exemplo de resistência ao domínio romano.
  5. Caracterizar (economicamente, socialmente e politicamente) os lusitanos por oposição aos romanos.

 

  • Conhecer e compreender as mudanças operadas na Península Ibérica durante a romanização
  1. Definir romanização.
  2. Enunciar os fatores e agentes de romanização da Península Ibérica.
  3. Destacar o latim e o direito como grandes legados da civilização romana às sociedades atuais.
  4. Conhecer a origem latina da Língua Portuguesa.
  5. Identificar vestígios materiais da presença romana no território peninsular, salientando a utilidade e a durabilidade das construções.

 

  • Conhecer e compreender o processo de cristianização dos povos peninsulares
  1. Reconhecer a existência de religiões politeístas na Península Ibérica, durante o período Romano.
  2. Caracterizar o Cristianismo, salientando a sua origem no Judaísmo.
  3. Relacionar a adesão ao Cristianismo entre os habitantes do Império e a existência de profundas desigualdades sociais.
  4. Indicar que o Cristianismo passou de religião perseguida a religião oficial do Império no século IV.
  5. Localizar países de maioria cristã no mundo atual, destacando o Cristianismo como uma das religiões com mais crentes nos nossos dias.
  6. Reconhecer o nascimento de Cristo como um marco para a contagem do tempo no mundo Ocidental, confrontando, a título de exemplo, com o calendário judaico ou muçulmano.
  7. Aplicar unidades/convenções de datação (milénio, século, década, ano, a.C, d.C.) e converter datas em séculos e séculos em datas.

 

  • Conhecer o contributo dos visigodos para uma nova unidade peninsular após o fim do Império Romano do Ocidente
  1. Identificar os povos invasores do Império Romano, destacando os que ocuparam a Península Ibérica no século V.
  2. Localizar no espaço o reino dos suevos e o reino dos visigodos.
  3. Conhecer aspetos do modo de vida dos povos invasores, por oposição ao modo de vida romano.
  4. Reconhecer a unificação de toda a Península Ibérica pelos visigodos, no século VI e o processo de fusão com a cultura das populações autóctones.
  5. Identificar e localizar vestígios materiais da presença dos visigodos no território peninsular, salientando a arquitetura e a joalharia.

 


 

| Voltar à lista dos conteúdos do 5º ano – HGP |

 

You may also like...